Escolas de samba querem mais de R$ 190 mil na capital

De acordo com a Liest, em razão da paralisação de três anos seriam necessários mais de R$ 190 mil para reparar as alegorias

No último dia 03, a Prefeitura Municipal de Teresina e representantes das escolas de samba de Teresina se reuniram para discutir diretrizes para o carnaval 2014, visando a retomada do desfile das escolas, que não acontece há 3 anos.

Por enquanto não foi definido o valor a ser destinado a cada agremiação carnavalesca da capital, mas antes disso já existe impasse quanto ao apoio financeiro, já que sambistas alegam que o possível valor seja insuficiente.

De acordo com o presidente da Liga das Escolas de Samba de Teresina (Liest) Jamil Said, e também diretor da Escola Skindô, o processo ainda encontra-se em fase de organizar a documentação exigida pela Prefeitura, mas destaca que não há tempo hábil para isso. ?Ontem me reuni com as escolas para mostrar como preparar toda a documentação, que é composta por cerca de 18 documentos. O problema é que o tempo que eles deram é pouco, já que teremos que expedir também dois tipos diferentes de alvará?, aponta.

Segundo o presidente da Fundação Cultural Monsenhor Chaves (FCMC), Lázaro do Piauí, primeiramente essa documentação é imprescindível, já que não se pode trabalhar com o dinheiro público sem a prestação de contas, de forma transparente e com a devidos documentos. ?Pedimos só a documentação necessária, e estamos dando o prazo para que as escolas entreguem isso até o fim deste mês?, explica.

Lázaro destaca ainda que é preciso reunir as escolas de samba para definir o valor do apoio, mas descarta a possibilidade de 150 mil reais, pois não há verbas para isso. ?Não existe todo esse dinheiro para o carnaval. Mas a Prefeitura está decidida que quer fazer o carnaval?, disse, acrescentando que o Corso continuará.

Já o presidente da Liest afirma que após avaliação das condições dos carros alegóricos e outros materiais, será preciso renovar tudo, já que há três anos não há desfile, o que exigiria, no mínimo, 192 mil reais para a Skindô apresentar reais condições de sair nas ruas de Teresina no carnaval 2014.

Fonte: Wherika Carvalho