Escolas integrais estão em crescimento no Piauí

Foram criadas no ano passado

O Ministério da Educação (MEC) fez uma pesquisa relacionada a educação integral no Brasil. O resultado foi que enquanto 37% das redes da Região Sudeste que responderam à pesquisa já ampliaram a jornada escolar, o número foi de apenas 3% no Norte do país. Mesmo com números significativos de municípios que responderam ao questionário da pesquisa, Pará, Acre, Rondônia e Roraima não relataram a implantação da experiência.

No Piauí a experiência este ano passa a funcionar em 18 escolas da rede estadual de ensino. ?Já divulgamos a seleção para os diretores assim como os resultados para a seleção dos alunos que vão participar do 1o ano do ensino médio no Liceu Piauiense e na Unidade Escolar João Henrique?, explicou Rosâgela Carvalho, gerente de projetos especiais de tempo integral. No Piauí a idéia foi implantada em 2009. Na pesquisa do MEC das 500 redes públicas que responderam ao questionário e confirmaram a oferta da Educação integral, 39% realizam a experiência a menos de um ano.

?Neste ano estamos com 18 escolas de tempo integral. Foram 14 em 2009 e mais 4 este ano divididas em 6 de ensino fundamental, 5 de ensino profissional e 7 de ensino médio?, relatou Rosângela Carvalho. Na seleção realizada foram escolhidos estudantes para as 200 vagas do Liceu Piauiense, e 80 para a Unidade escolar João Henrique, as duas para o 1o ano. Ainda foi feita seleção para a Unidade Escolar Dirceu Mendes Arcoverde, no ensino profissional.

Segundo Rosângela Carvalho a implantação das escolas está acontecendo através de conversas com a comunidade. ?A cada ano estamos fazendo a avaliação para a implantação das novas escolas e tomando decisões de acordo com a comunidade escolar que tem dado todo o apoio?, relatou a gerente acrescentando que no começo os pais temem pelo novo modelo, mas que posteriormente reconhecem as vantagens e até comemoram avanços como aprovações no vestibular.

Como exemplos do sucesso, a gerente cita um dos aprovados no último vestibular da Uespi. ?O 1o lugar de engenharia elétrica é de Oeiras e passou por uma das nossas escolas de tempo integral?, ressaltou. Para Rosângela os resultados são fruto da própria estratégia desenvolvida nas escolas de tempo integral. ?A proposta é consolidar o modelo com o aluno focado e diversificado em atividades multidisciplinares e os profissionais estão muito próximos?, comentou. (C.R.)

Fonte: Carlos Rocha, Jornal Meio Norte