Esgotamento e mobilidade são metas da Agenda 2030 para Teresina

A expansão do saneamento básico e melhoria da mobilidade

A Prefeitura de Teresina, por meio da Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação (Semplan), fez ontem (13) o lançamento oficial da publicação Agenda Teresina 2030: “A cidade desejada”.

O documento, que foi apresentado no Palácio da Música, reúne um conjunto de metas e diretrizes que devem ser aplicadas na capital piauiense nos próximos 15 anos.

O secretário municipal de Planejamento e Coordenação, Washington Bonfim, conta que os pontos mais importantes da agenda tratam sobre a expansão do saneamento básico de Teresina e a melhoria da mobilidade urbana.

Ampliar em 100% a cobertura do esgotamento sanitário da cidade, que atualmente atende somente 17% da população, é um dos desafios que a prefeitura pretende vencer, de acordo com a Agenda 2030.

Para a Semplan, a baixa cobertura do saneamento básico é um dos maiores problemas urbanos que Teresina possui atualmente. “A nossa expectativa é que a cobertura avance porque uma outra meta que queremos alcançar é que Teresina cresça verticalmente. Sem saneamento básico de qualidade não existe verticalização”, considera Washington Bonfim.

No que diz respeito à mobilidade urbana, o secretário elencou uma série de ações que já estão sendo implantadas em Teresina. “A prefeitura tem um conjunto de recursos encaminhados.

Estamos fazendo licitações de corredores exclusivos de ônibus, implantações de faixas seletivas, mudanças de trânsito. Enfim, há um desenho de planejamento que está sendo posto em execução”, contou Bonfim.

A Agenda Teresina 2030 é dividida em cinco eixos temáticos - Cidade Sustentável, Cidade de Oportunidades, Cidade de Direitos, Cidade Criativa e Governança Eficiente. O prefeito Firmino Filho esteve na solenidade e comentou que Teresina é uma cidade “espalhada”, com pouca densidade populacional.

De acordo com o chefe do executivo municipal, a capital possui uma média de 32 habitantes por hectare. “Existe a necessidade de buscarmos uma reformulação do espaço urbano, de criarmos mais atividades econômicas. Isso vai permitir que tenhamos melhoria na qualidade de vida”, declarou.

A Agenda Teresina 2030 foi elaborada de forma participativa, em conjunto com instituições públicas municipais, estaduais e federais; empresas privadas de grande responsabilidade social; organizações do chamado Terceiro Setor; e entidades do movimento popular, sindical, classista, patronal, laboral e profissional.

Conquistas da Agenda 2015 devem ser mantidas

O secretário Washington Bonfim fez, ainda, um balanço das metas da Agenda 2015, que foram alcançadas nos últimos 15 anos. A publicação Cidade Desejada une os objetivos de manter as conquistas do documento criado no ano 2000.

"Conseguimos avanços principalmente na área da educação, saúde e assistência social. Melhoramos muito o nosso Índice de Desenvolvimento Humano, que em 2000 era médio e agora é alto", finaliza o secretário da Semplan. A prefeitura de Teresina ressalta que a Agenda 2030 é passível de redefinições de prioridades sempre que for necessário.

Fonte: Virgínia Santos e Izabella Pimentel