Especialistas dizem que pílulas podem compremeter o sistema vascular; saiba!

Especialistas dizem que pílulas podem compremeter o sistema vascular; saiba!

A notícia de que mulheres poderiam estar com problemas sanguíneos por causa de anticoncepcionais preocupou

Em junho de 2013 foi noticiada em todo o mundo a morte de 23 mulheres canadenses por coágulos no sangue. O diagnóstico de todas elas apontou para causas relacionadas com a utilização de anticoncepcionais de um mesmo fabricante. A polêmica suscitou um certo receio na utilização das pílulas e a possível potencialização de doenças vasculares causadas pelas dosagens hormonais.

A empresa Bayer, fabricante, respondeu à imprensa que é comprometida com a qualidade e segurança de seus medicamentos e que as causas necessitam de uma investigação mais precisa.

É o mesmo que defendem os médicos. Com as evoluções na industria farmacêutica, as dosagens dos hormônios progesterona e estrogênio foram reduzidas ao mínimo, de forma a reduzir efeitos colaterais mais graves. O estrogênio é o hormônio mais associado aos problemas venosos, já que o anticoncepcional causa o aumento da formação de placas de gordura nas paredes dos vasos sanguíneos.

O médico Germano da Paz Oliveira, especialista em angiologia, confirma que os anticoncepcionais mais modernos ainda podem ter uma influência sobre a Trombose Venosa Profunda, uma doença que acomete o sistema vascular, e faz o alerta. ?Alguns anticoncepcionais aumentam quase duas vezes as chances de desenvolvimento de Trombose Venosa Profunda. No entanto, o bom aconselhamento com o seu médico pode, através de aplicação de um questionário simples, selecionar pessoas que estão mais propensas a desenvolver a trombose e, assim, evitar o uso quando houver risco?, destaca o médico.

Ainda de acordo com o médico, no diagnóstico de trombose também é preciso levar em conta fatores importantes, como se submeter alguns tipos de cirurgia, passar prolongados períodos sem movimentação dos membros, realização de tratamentos contra câncer e a predisposição genética. Neste último caso, para as mulheres com Trombofilia Hereditária, o uso dos anticoncepcionais está vetada.

O médico ressalta que atualmente não vale a pena a investigação de predisposição a todas as pessoas antes de receitar o anticoncepcional à mulher que via utilizá-lo pela primeira vez. ?A Trombose Venosa Profunda é uma doença rara e se a mulher está jovem, saudável não tem por que realizar essa investigação?.

Relações com Acidente Vascular Cerebral

Jesus Andrade, 66 anos, teve no passado um Acidente Vascular Cerebral (AVC), na época, associado diretamente à utilização de anticoncepcionais. Aos 29 anos e com dois (dos quatro) filhos pequenos, ela acordou com metade do corpo paralisada. O AVC resultou em nove meses de fisioterapia e medicação até se livrar das sequelas.

?Mesmo com a medicina ainda pouco avançada, me lembro que diante de todos os exames que eu fiz, o meu AVC foi associado ao uso do anticoncepcional, que na época tinha uma dosagem muito alta. Depois disso, parei de usar e jamais quis saber das reposições hormonais, nem mesmo na época em que eles estavam no auge e prometendo rejuvenescimento?.

Sobre o risco de AVC utilizando as pílulas mais modernas, o neurologista Leonardo Halley destaca que ainda existe, principalmente em mulheres mais velhas e que fazem o uso prolongado da medicação. ?Na realidade, o AVC está ligado mais à hipertensão, diabetes e colesterol alto, por isso as mulheres com estes problemas devem ficar mais atentas durante a utilização do anticoncepcional e estar em dia com os exames e controles das taxas?, disse o neurologista.

Entretanto, o risco de um acidente envolvendo a utilização é muito reduzida, abaixo de 1%. As mulheres jovens, que se exercitam e estão saudáveis, não possuem motivos para ter medo do uso.(S.R.)

Fonte: Samira Ramalho