Estado de saúde de mulher que injetou acrílico no seu bumbum é grave; veja

Ela aplicou acrílico para aumentar o glúteo e teve uma reação 20 dias depois.

A jovem Vânia Prisco, de 29 anos, internada desde o início do mês de junho em um hospital particular de São Cristóvão, zona norte do Rio, continua em estado considerado grave nesta quinta-feira (29). Ela aplicou acrílico para aumentar o glúteo e teve uma reação 20 dias depois. O procedimento foi feito por uma falsa médica. Vânia já passou por ao menos 37 cirurgias e gastou R$ 50 mil com anestesistas.



A jovem afirmou que só soube que se tratava de uma falsa profissional quando foi até uma delegacia registrar um boletim de ocorrência. Ela não fez nenhuma pesquisa anterior sobre a aplicação e não sabia que outras jovens já haviam denunciado o mesmo problema.



O procedimento foi feito com a médica identificada como Cecília Tavares. O Conselho Regional de Medicina nega a existência de qualquer registro médico com esse nome.



O acrílico em pó utilizado pela jovem é liberado pela vigilância sanitária, mas apenas para cirurgias reparadoras, não para procedimentos estéticos. Se for mal utilizado, pode levar à morte.



De acordo com o médico José Horácio, presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, o acrílico aplicado na jovem é absorvido pelo organismo e nunca mais poderá ser retirado, o que gerou todas as complicações. Ele afirmou que o conselho condena este tipo de cirurgia e orienta que os pacientes façam uma pesquisa antes de se submeterem a qualquer tipo de procedimento estético.



A jovem está em um hospital particular e precisou arcar com todas as despesas. Somente com anestesistas já foram gastos R$ 50 mil.



O caso foi registrado na polícia como lesão corporal. Já existem duas ocorrências policiais contra a médica.



O registro do médico pode ser consultado no CRM (Conselho Regional de Medicina). Se houvesse pesquisado, Vânia saberia que se tratava de uma falsa médica.



O endereço indicado pela jovem que se trataria da clínica médica, na verdade, é uma residência comum sem qualquer identificação.



Fonte: r7