Estado do Piauí está prestes a se tornar exportador de energia renovável

Melhorias

O Piauí está a caminho de virar exportador de energia graças a execução de projetos de energia renovável por todo o Estado. Os parques produtores de energia eólica estão espalhados de Norte a Sul, do litoral ao semiárido, e até fevereiro do próximo ano deverão produzir quase o dobro do que o Estado consome. Já a produção de energia solar é a grande aposta do Piauí para o próximo ano.

O cenário do semiárido está mudando e cidades como Curral Novo, Simões e Dom Inocêncio receberam turbinas para a produção de energia através do vento, elemento abundante nesta região.

Há nada menos que 422 aerogeradores espalhados em uma região que até pouco tempo era vista como uma terra sem esperança, tendo em vista as crises de estiagem e evasão da população.

Para se ter uma ideia, no início de 2016 o Parque Eólico do Semiárido produzirá cerca de 1.300 mW por mês, cerca de seis vezes mais que a energia produzida pela Barragem de Boa Esperança.

E a produção de energia no semiárido poderá chegar a 2.400 mW mensais, pois dependendo do sucesso da empreitada, o parque eólico pode se espalhar para os municípios de Queimada Nova, Lagoa do Bairro e Dom Inocêncio.

Para isso, está sendo construída uma subestação para armazenar e distribuir a energia para as redes de distribuição que deverão alimentar todo o Brasil.

Como resultado, o Estado sai ganhando e a população, também. “O Parque Eólico do Semiárido apresenta uma nova realidade para a região e para todo o Piauí. As empresas instaladas nas redondezas podem se modernizar, o que é excelente para a economia.

A população ganha com a geração de emprego e renda nas cidades beneficiadas. Logo, as pessoas não precisam se deslocar para outros polos em busca de melhores oportunidades, pois o progresso está chegando a lugares onde a população havia perdido a esperança”, conta o secretário Antônio Neto, à frente da Secretaria Estadual de Planejamento e Gestão da Economia.

Fonte: Olegário Borges