Alzenir Porto diz: "Estão pedindo coisas impossíveis de acontecer"

Alzenir Porto diz: "Estão pedindo coisas impossíveis de acontecer"

Ela informou que a integração está beneficiando a população e sendo bem aceita pela maioria.

Foi implantado em Teresina, na última segundafeira, 3, o sistema de integração do transporte público, que culminou em uma semana de protestos de manifestantes insatisfeitos com o novo sistema e com o aumento da tarifa, de R$ 1,90 para R$ 2,10.

Sobre tal assunto, a superintendente da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans) da capital, Alzenir Porto, informou que a integração está beneficiando a população e sendo bem aceita pela maioria.

Em entrevista ao Jornal Meio Norte, a superintendente falou sobre o novo sistema, informou as perspectivas de ampliação e explanou sobre o posicionamento da Prefeitura de Teresina sobre as manifestações. Além disso, a superintendente informou que o concurso para agente da Strans, realizado no ano passado, está em fase final e os aprovados deverão ser convocados em breve.

JORNAL MEIO NORTE - Primeiramente, como a Strans avalia essa primeira semana da integração dos ônibus na capital?

ALZENIR PORTO - A integração está excelente, perfeita. Está dando todos os resultados que nós esperamos, a população está sendo consultada pelos nossos agentes que se encontram nas paradas de integração.

A única preocupação que se tinha era com o tempo, se uma hora seria ou não suficiente, mas na verdade, desde o início nós fizemos com horários diferenciados, por isso garantimos que todo mundo integraria, porque cada bairro tem uma parametrização diferente, os mais distantes foram parametrizados com uma hora e meia, os mais próximos, com uma hora, de modo que todo mundo vai integrar, e, se mesmo assim, der problema, nós podemos perfeitamente modificar.

Isso não é problema nenhum. A integração está fluindo muito bem, está perfeita. Hoje éramos para estar trabalhando em uma segunda etapa, avançando nessa integração, se assim nós não estamos fazendo é porque estamos voltados a um problema que está indo de encontro aquilo que é um benefício aos teresinenses.

Quer dizer, hoje nós estamos vendo as pessoas depredarem o patrimônio, ou seja, ao invés de colocar novas paradas iremos ter que repor as que foram quebradas, mas com certeza eles pagarão por isso, haja vista que nós temos imagens que comprovam quem foi que depredou aquele patrimônio público.

JMN - E no que diz respeito a essas manifestações que ocorreram durante a semana em Teresina, que a senhora inclusive já mencionou, qual o posicionamento da Strans?

A.P - O nosso posicionamento é de trazer ordem para a cidade. É de repudiar o que está acontecendo, porque a gente entende que um manifesto é permitido pela Constituição, mas também o direito constitucional do cidadão de ir e vir, entre outros garantidos também pela constituição, deve ser respeitado.

Então nós vemos com preocupação no momento em que esse movimento entra sem objetivo. Por que qual o objetivo? Queriam que fosse implantada a integração e nós implantamos. Falam de um valor de passagem, mas todo mundo sabe que sempre, em todos os lugares, a passagem aumenta uma vez por ano, exatamente porque há aumento salarial e outras coisas.

Esse aumento está sendo um aumento para dois anos. Um aumento que já passou pela apreciação de todo mundo, que já ficou no passado, que foi auditado, comprovado, especulado e tudo foi resolvido.

Então no momento em que vemos uma manifestação como essa do Fórum Estadual em Defesa do Transporte Público que li em um portal, que pede ao prefeito o cancelamento do aumento, isso é impossível.

Que o prefeito desse gratuidade para estudantes, desempregados e ainda implantasse a integração de forma total, ou seja, eles estão pedindo coisas que são impossíveis de acontecer.

O pedido de gratuidade para estudante, gratuidade para o desempregado, um valor reduzido de tarifa e municipalização do transporte público, onde é que o dinheiro público, o dinheiro dos nossos impostos dá para subsidiar isso? Isso não existe.

As pessoas que trabalham já têm seus vales transporte, os estudantes têm o benefício da meia-passagem, os idosos têm gratuidade, os deficientes e os policiais também. Ou seja, já existe uma série de benefícios dentro desse sistema, onde quem paga por eles é a população, então a população não tem como bancar o passe livre para estudantes e desempregados.

JMN - Existe previsão de quando o sistema vai ser completamente integrado? E com relação à segunda passagem?

A.P - De acordo com o nosso planejamento, o prefeito Elmano Férrer espera que com seis meses nós consigamos retirar essa segunda passagem.

Quanto à questão de novas linhas, isso vai acontecendo gradualmente, dificilmente você consegue tirar de uma vez só e fechar tudo. É praticamente impossível. Até porque para fiscalizar e acompanhar é muito difícil.

JMN - Agora voltando um pouco mais para a Strans, quais os principais planos e perspectivas para este ano?

A.P - Nós temos vários planos, inclusive o projeto da criação de corredores exclusivos, que será realizado através do Programa de Aceleração do Crescimento 2, no que se refere à mobilidade urbana, onde os valores totais de investimentos estão em cerca de R$ 138 milhões, que serão investidos em questão de corredores e dentro da mobilidade urbana como um todo.

Enfim, nós teremos um crescimento muito grande em 2012, até porque já temos recusos garantidos para melhorar o trânsito da cidade, como para a construção de alguns viadutos. Além disso, vamos ampliar o programa Vida no Trânsito e Strans Intinerante, que são responsáveis pela educação no trânsito.

Estamos com vários projetos, com várias intervenções que beneficiarão a população de Teresina, procurando decosupar calçadas, evitar excessos. Outro ponto importante é a utilização das câmeras de monitoramento, esse equipamento veio para nos ajudar, nos auxiliar.

Esse sistema, que teve um investimento de R$ 2,6 milhões, é perfeito.

JMN - E sobre o concurso da Strans realizado no ano passado, quando os novos agentes estarão nas ruas?

A.P - Esse concurso já está na sua última etapa. Foi um concurso para 30 novos agentes e, além dos 30, mais 10 para cadastro de reserva, que provavelmente também serão chamados logo.

Essa última fase começa no dia 30 deste mês, para que se faça a formação desses agentes, que também será feita através do Sest/Senat.

Fonte: Raphael Reis