Estiagem deixa 65% das cidades do Piauí em estado de emergência

Agricultura de subsistência é a mais afetada; não chove no semiárido desde maio

A estiagem deste ano já deixou mais da metade das cidades do Piauí em estado de emergência e provoca prejuízos na agricultura. De acordo com a Defesa Civil, 152 dos 224 municípios do Estado estão nessa condição por causa da falta de água. O número representa cerca de 65% das cidades do Piauí.

A pior situação é vivida no semiárido. As regiões dos municípios de Picos, São Raimundo Nonato e São João são as mais atingidas pela falta de água. Segundo a Defesa Civil, cerca de 80% da produção de pequenos agricultores do Estado já foi perdida nesta temporada de seca.

O órgão diz que fornece carros-pipa para os locais onde há maior demanda de água. No entanto, as cisternas e as pequenas barragens já secaram na maioria dos municípios. Além das plantações, os animais estão começando a morrer por falta de pastagem e água.

Segundo a Defesa Civil, há regiões do Piauí em que não chove desde meados de maio. Para este ano, a previsão é de que a chuva volte a cair apenas em outubro próximo. Até lá, o clima seco deve intensificar a falta de água no Estado.

A temporada de seca em regiões do Norte e Nordeste brasileiro começa em maio e termina em outubro.

Emergência ambiental

Nesta semana, o Ministério do Meio Ambiente decretou estado de emergência ambiental em 14 Estados e no Distrito Federal por causa do grande número de focos de queimadas. Estão na lista Amapá, Amazonas, Ceará, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia, Roraima, Pará, Piauí, Tocantins, Bahia, Goiás e Minas Gerais.

Com o decreto, os Estados podem contratar brigadistas para combater o fogo sem necessidade de licitação.

Fonte: R7, www.r7.com