Ex-jogador de Cruzeiro e Fla é suspeito de agredir filha

O ex-atleta desmentiu as acusações.

O ex-jogador do Cruzeiro e do Flamengo Cleison Edson Assunção é suspeito de agredir uma das filhas, de 15 anos, nesta segunda-feira (2) no bairro Copacabana, na Região de Venda Nova, em Belo Horizonte. De acordo com a Polícia Militar (PM), a ex-mulher dele teria feito a denúncia. O ex-atleta desmentiu as acusações.

Ainda segundo a PM, a ex-mulher de Assunção disse que as três filhas estavam no carro e uma delas estava conversando e reclamando, quando Cleison ficou nervoso e teria agredido a menina com tapas e puxões de cabelo. As outras duas teriam separado a confusão. A menina reclamou de dores do braço e no couro cabeludo. A ocorrência foi encerrada no Barreiro.

O ex-jogador negou qualquer agressão contra a filha e disse que foi uma armação. Ele afirmou que seguia com as filhas de carro para um shopping quando houve um desentendimento.

"Com a separação, eu deixei um patrimônio de R$ 2,5 milhões juntando carro e tudo. Ela [ a ex-mulher] acabou com tudo em sete ou oito anos. Elas [ filhas do ex-jogador ] não gostaram que eu falei que a mãe gastou o dinheiro. Elas saíram do carro xingando. Para minha surpresa recebo uma ligação perguntando sobre a agressão. Achei que era uma pegadinha, uma brincadeira. Nada justifica o que elas fizeram comigo, elas armaram para mim. Se fosse verdade, falaria que fiz e que estou arrependido", disse Assunção.

Ele afirmou ainda desconhecer a existência de um boletim de ocorrência e explicou que pegou as filhas para ir ao shopping, mas teve que adiar por problemas de saúde da mãe. "A minha ex-mulher é muito complicada. Eu amo minha filha. Mas o que elas fizeram, estou muito chateado com elas", explicou. Segundo Cleison, ele paga a pensão alimentícia em dia todos os meses. O ex-jogador disse que deve comparecer a uma delegacia na presença de um advogado para dar esclarecimentos. Ele está morando em Fortaleza.

A menina que teria sido agredida prestou depoimento e, segundo o boletim, ela não fez exame de corpo de delito. As outras duas irmãs, de 13 e 18 anos, não foram ouvidas.

Cleison foi jogador do Cruzeiro na década de 90 e do Atlético no ínicio dos anos 2000. Ele também atuou no Flamengo em 1998 e 1999, além de outros clubes pelo Brasil.

Fonte: G1