Ex-jogador morto em acidente era guerreiro e caridoso, diz irmão

Ex-jogador morto em acidente era guerreiro e caridoso, diz irmão

Ele defendeu a equipe do Vila Nova, Anapolina, Juventude e Ponte Preta.

Caridoso, unido e guerreiro. Essas foram as palavras usadas por cada um dos três irmão de Donizete Castro de Araújo, de 36 anos, para definí-lo. O ex-jogador de futebol e mais três pessoas morreram na manhã de sábado (19), durante um acidente na GO-222, entre Goiânia e Anápolis.

É com tristeza e carinho que Wendel, Edivaldo e Eder Castro de Araújo relembram, em entrevista ao G1, "tudo que o Donizete fez e, infelizmente, não vai fazer mais". Há 10 anos, segundo os irmãos, Donizete promovia um jogo beneficente para arrecadar alimentos para instituições ligadas à igreja católica da cidade.

O evento festivo já reuniu sertanejos famosos, como Marrone e Leonardo. Também participavam amigos que Donizete fez desde as categorias de base do Vila Nova, onde se revelou e foi ídolo em 2001, quando conquistou o título do Campeonato Goiano.

Ele também promovia campeonatos de futebol amador nos bairros pobres de Nerópolis, para promover o esporte. Nessas ocasiões, distribuia camisas e bolas para as equipes.

Para Eder, o que define a relação de Donizete com a família é a união. "Somos quatro irmãos muito unidos, como unha e carne", diz muito abalado.

Evaldo conta que a morte do ex-jogador deixou os pais em estado de choque. Ele conta que todos ficaram preocupados quando o irmão, sempre pontual, não apareceu para abrir o comércio que tem na cidade na manhã deste sábado.

"Tentamos entrar em contato com ele pelo celular e não conseguimos. Quando ficamos sabendo do acidente na rodovia, vimos que o carro coincidia. Mais tarde, o pessoal do hospital entrou em contato com o meu pai", relembra.

O corpo de Donizete foi velado durante toda a madrugada na Câmara Municipal de Nerópolis. O sepultamento está marcado para as 10h, no Cemitério São João Batista.

Fonte: G1