Arrependido, ex-skinhead faz várias cirurgias para remover tatuagens racistas

Widner era considerado um dos supremacistas brancos mais famosos dos EUA. Ele pertencia ao grupo Vinlanders

O ex-skinhead Bryon Widner se submeteu a 25 cirurgias bem dolorosas para remover tatuagens racistas - incluindo suásticas - que ele ostentava nas mãos e no rosto. As operações foram realizadas em um período de 16 meses e custaram o equivalente a 57 mil reais.

Widner era considerado um dos supremacistas brancos mais famosos dos EUA. Ele pertencia ao grupo Vinlanders.

Agora, ele renega o passado. Byron formou família e pretende educar os filhos com princípios de tolerância, segundo reportagem do "Sun". Com as tatuagens, o americano não conseguia viver em sociedade e arrumar emprego.

Incomodado, Byron entrou em contato com o grupo ativista Southern Poverty Law Center (SPLC), que achou um doador anônimo para custear as cirurgias.

"Nenhum outro era mais agressivo, mais ameaçador e mais famoso", disse Joseph Roy, chefe do SPLC.


Ex-skinhead passa por 25 cirurgias para remover tatuagens racistas

Fonte: O Globo