FAB confirma uma morte e nove ocupantes desaparecidos

Nove ocupantes sobreviveram e um está desaparecido

O avião que havia desaparecido na região amazônica pousou em um rio, segundo a assessoria de comunicação da Força Aérea Brasileira (FAB). Estavam na aeronave 11 pessoas, incluindo quatro tripulantes e sete funcionários da Fundação Nacional da Saúde (Funasa). A Funasa informou que nove pessoas sobreviveram.

A FAB confirmou o número e informou que um funcionário da Funasa morreu e o corpo está preso nas ferragens. Um militar está desaparecido. Os funcionários da Funasa que estava no avião participavam de uma campanha de vacinação. Ainda de acordo com a FAB, a aeronave foi localizada por indígenas da tribo Matis, em meio à Floresta Amazônica, entre as aldeias Aurélio (da Tribo dos Matis) e Rio Novo (da Tribo dos Murugos), próximo ao Rio Ituí, afluente do Rio Javari. Desaparecimento O avião desaparecido era um Cessna C-98 Caravan da Força Aérea Brasileira.

A FAB informou na noite desta quinta-feira (29) que recebeu um sinal de emergência do avião 58 minutos após a decolagem. A aeronave seguia de Cruzeiro do Sul (AC) para Tabatinga (AM).

De acordo com o professor de aeronáutica Cláudio Roberto Scherer, da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS), o C-98 Caravan é usado para transporte, tanto na aviação civil quanto na militar. "É uma aeronave de turbo-hélice pequena, usada para levar poucas pessoas em trajetos curtos", explica.

O comandante Renato Nascimento, ex-piloto da FAB e hoje na aviação civil, afirma que a aeronave "não tem muitos recursos". "É um aviãozinho pequeno, monomotor. O problema com o monomotor é que se o motor falha, você não tem outro", explica.

Fonte: g1, www.g1.com.br