Faixas exclusivas terão mais 40 km até 2016 em Teresina, afirma Setut

O investimento em faixas específicas para o transporte público facilita o tráfego dos ônibus e contribui com a maior parte da população

O uso de faixas exclusivas já provou em algumas grandes cidades do país que pode ser uma importante aliada na busca pela fluidez no trânsito. Em Teresina, essas vantagens também podem ser percebidas na Avenida Frei Serafim, que já conta com esse mecanismo de mobilidade urbana. No entanto, há quem acredite que isso ainda não é suficiente e essas faixas devem ser levadas para outros pontos da cidade.

Até o ano de 2016, Teresina passará a contar com mais cerca de 40 km de faixas exclusivas para ônibus, divididas em seis corredores, que ficarão espalhados por todas as regiões da cidade. Com isso, avenidas como João XXIII, Maranhão, Presidente Kennedy, Miguel Rosa, Duque de Caxias, Barão de Gurgueia, Henry Wall de Carvalho, dentre várias outras, passarão a ter essas faixas. Também terão corredor exclusivo para ônibus as Ruas Coelho de Resende e Desembargador Pires de Castro.

O diretor do Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Teresina (Setut), Solfiere Silva, afirma que Teresina precisa investir o quanto antes nesses corredores exclusivos, a exemplo do que vem sendo feito em outras cidades do país, como Rio de Janeiro e São Paulo, o trânsito possa ficar mais organizado. ?Essas faixas, já está provado, com as experiências de outras cidades, dão celeridade ao trânsito?, disse.

Segundo Solfiere, com os corredores exclusivos, tanto passageiros de ônibus quanto de carros particulares ganham muito mais tempo no trânsito. ?Nos últimos cinco anos, o que percebemos foram as facilidades para que as pessoas adquiram um veículo, com isso, as cidades de todo o Brasil ganharam um número muito grande de carros, então o trânsito começou a entrar em crise, pois as ruas não suportam mais tantos veículos e com isso surge a necessidade de faixas exclusivas para ônibus. Se antes se gastava, por exemplo, meia hora entre o Saci e os shoppings de Teresina, hoje se gasta até mais de uma hora, dependendo do horário. Com essas faixas, a população, tanto nos ônibus como nos automóveis, ganhará até 20% de tempo?, afirmou.

Ele chama atenção, no entanto, para a necessidade de fiscalização aos pontos em que essas faixas forem implantadas. ?Não basta que se pintem faixas no chão se nessas regiões não há uma fiscalização eficaz, para fazer com que os condutores da capital possam respeitá-las?, pontuou. Para Solfiere, um dos pontos positivos das faixas é o baixo custo que elas trazem. ?Pintar uma faixa no chão é algo muito prático e sem grandes custos?, completou.

O diretor de Trânsito da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (Strans), Augusto Basílio, afirmou que o projeto já está concluído e agora é a fase de conseguir os recursos para sua implantação. ?O prefeito Firmino Filho vai a Brasília tentar conseguir os recursos. Nós temos dois anos para implantar essas faixas?, pontuou.

Fonte: Pollyana Carvalho