"Falou que não entraria no mar", diz irmão de cantor vencedor do Astros morto por afogamento

"Falou que não entraria no mar", diz irmão de cantor vencedor do Astros morto por afogamento

Corpo de Cleiton Frack, 29 anos, foi levado para velório em São Paulo.

O corpo do cantor gospel Cleiton Frack, que morreu afogado em Ilhéus, no sul da Bahia, foi levado para Osasco, em São Paulo, na madrugada desta quinta-feira (31). De acordo com informações de Adilson Oliveira, irmão do artista, o traslado foi feito por via terrestre e via aérea. O corpo foi levado de carro, na noite de quarta-feira (30), de Ilhéus para Salvador, de onde foi traslado de avião no final da madrugada desta quinta-feira.

O corpo de Cleiton será velado na Igreja Central de Osasco, a partir das 12h. Em seguida, será levado para o cemitério do Jaraguá, na capital paulista, onde será sepultado.

O irmão de Cleiton esteve em Ilhéus para fazer o traslado do corpo do cantor. Adilson afirmou que foi informado que Cleiton estava sozinho no momento do ocorrido e que o músico não sabia nadar. "Pelas informações que tive, ele foi para a praia um pouco antes de ir para o aerporto e disse que nem ia entrar, ele gostava de ficar molhando os pés. Ele ia embora no dia 28 [um dia antes], mas teve um problema no voo e ele ficou. Ele estava em turnê na Bahia. A gente acha que ele pode ter caído em um buraco. Ele não sabia nadar, mas não costumava entrar na água", contou.

Caso

O corpo do cantor foi encontrado na praia de São Miguel, na ala norte da orla de Ilhéus, na segunda-feira (29). Na ocasião, o Corpo de Bombeiros, que prestou assistência ao caso, informou que a vítima foi retirada do mar pela equipe de salva-vidas municipal, dentro de um cais, após uma arrebentação.

Cleiton Frack tinha 29 anos, era noivo e pretendia casar no próximo ano. Ele foi vocalista da banda ArtPela, vencedora do programa de calouros "Astros", do SBT. Segundo o irmão, ele começou a ter contato com a música ainda criança e cantava profissionalmente há cerca de 10 anos. Ultimamente, ele fazia carreira solo. "Quem conhecia ele já se apaixonava por ele. Ele era alegre, brincalhão. As pessoas gostavam muito dele porque ele transmitia simpatia. Pra gente [família] foi choque muito grande [a morte]", afirmou Adfilson.

Segundo um amigo do cantor, ele estava na Bahia para uma miniturnê em Salvador e Feira de Santana e, como tinha dois dias vagos na agenda, aceitou o convite para cantar em duas igrejas em Ilhéus.

Ele postou muitas fotos da passagem dele no estado nas redes sociais. No Twitter, há um dia, o artista postou um salmo biblíco: "Os que confiam no SENHOR serão como o monte de Sião, que não se abala, mas permanece para sempre. Salmos 125:1".

Ainda segundo informações do amigo, Cleiton partiria na terça-feira (28) para São Paulo, mas a sua passagem foi remarcada para às 15h desta quarta-feira (29). Ele era de São Paulo e estava divulgando o seu primeiro trabalho em carreira solo.

Fonte: G1