Falso médico pagava para estuprar pacientes em hospital

Falso médico pagava para estuprar pacientes em hospital

Homem nega a denúncia e diz que atuava como terapeuta no pronto-socorro

O homem suspeito de se passar por médico para abusar sexualmente de uma paciente em um hospital de São Caetano do Sul (SP) disse que a entrada dele na unidade era permitida após pagamentos a funcionários. Israel Nóbrega Oliveira (foto), de 33 anos, foi preso na terça-feira (17), após uma paciente denunciá-lo.

? Eu trabalho com indicação para clínicas terapêuticas. Eu abordo clientes em hospitais como um advogado aborda clientes em porta de cadeia. [...] Eu pago algumas pessoas para indicação. Por enquanto, eu não vou falar quem e nem vou expor as clínicas. Obviamente, o hospital não vai fazer nada contra porque lá dentro há pessoas comissionadas que indicam vários outros serviços

O caso aconteceu no Hospital Municipal de São Caetano. A prefeitura da cidade informou, em nota, que já abriu uma investigação interna com funcionários para apurar se houve desvios.

Após abordar a paciente, na recepção, o homem teria se identificado como neurologista e cumprimentado outros funcionários. Segundo a mulher, ela foi levada para uma sala.

? Ele começou a me examinar, mas examinar acariciando meu corpo e eu achei estranho. Eu saí da sala e já fui direto para a minha filha: "filha, não saia de perto da mamãe, por causa que é muito estranho o atendimento desse médico".

O suspeito teria decidido continuar a consulta na casa da paciente. Eles foram de carro e ao chegar lá, ele pediu que ela ficasse deitada na cama. A filha da vítima não pode ficar no cômodo. Uma vizinha estranhou o procedimento e resolveu chamar a polícia.

Oliveira foi preso e indiciado por violação sexual mediante fraude. Ele contou que morou nos Estados Unidos por 20 anos e que chegou a São Caetano há cerca de seis meses, época em que começou a atuar no hospital. A polícia investiga agora se ele cometeu algum crime naquele país.

Fonte: r7