Falta de chuva prejudica plantações na Paraíba

Agricultores de 13 municípios registraram perdas

O mês de maio é época em que as plantações de feijão, algodão e milho no alto sertão da Paraíba já estariam quase prontas para a colheita. Mas, devido às poucas chuvas, esta não é uma realidade para a maioria das propriedades da região.

Segundo a Agência Executiva de Gestão das Águas no estado, as precipitações na região não foram suficientes para garantir o desenvolvimento da safra.

A agricultora Maria de Fátima Melo mora no município de Sousa, um dos mais prejudicados com a estiagem. As chuvas, desde o início do ano, não passaram dos 300 milímetros. Com isso, a plantação de milho ficou comprometida.

O agricultor Everaldo Lopes investiu nas plantações de milho, feijão e capim. Mas, depois de perder por duas vezes o que plantou por causa da falta de chuva, ele acabou desistindo. "Se a gente quiser comer uma canjica, teremos de comprar na região de irrigação?, disse ele.

Em 13 cidades, o índice de perda da produção deste ano está acima de 80%. Diante dessa situação, a Emater, empresa de assistência técnica, elaborou um laudo com as condições das famílias que dependem da agricultura para sobreviver. O documento deve ser entregue ao Ministério de Desenvolvimento Agrário ainda neste mês para que sejam tomadas as providências. ?Vai haver um convênio das prefeituras com a Emater para que sejam dados os laudos destes produtores. E será encaminhado [ao ministério]. Com certeza, eles receberão o seguro safra?, afirmou o agrônomo Tiburtino Cartaxo.

Para os agricultores receberem o seguro, o município precisa comprovar perdas acima de 50% na produção.

Fonte: g1, www.g1.com.br