Falta de energia coloca animais em risco no zoobotânico

Os profissionais que trabalham no zoobotânico tiveram grandes dificuldades sem energia elétrica

Foram três dias de sofrimento no Zoobotânico de Teresina, com a falta de energia elétrica iniciada na sexta-feira (05), os profissionais que trabalham no parque tiveram que lidar com imensas dificuldades na lida com os animais, são cerca de 200. Os problemas apontados pela interrupção do serviço ao longo de mais de 72 horas se estenderam até mesmo ao sistema de distribuição de água, sendo que os recintos são abastecidos através de poços tubulares. Apenas na Lagoa dos Primatas, por exemplo, o nível de água havia descido quase meio metro. O abastecimento de energia só foi restabelecido na fim da tarde da última segunda (08), segundo informa a administração do espaço.

De acordo com o diretor do zoo, José Renato, as reclamações durante o período foram constantes, mas nada se resolvia. “Nós fizemos cinco pedidos e não obtivemos retorno. Isso é seríssimo, o setor de nutrição foi completamente afetado, o resfriamento dos recintos, os animais sofreram”, aponta. O período seco e com baixos índices de umidade relativa do ar teriam gerado ainda mais problemas. “Os ursos ficaram mais estressados e ainda houve a preocupação de ter alguma fuga por parte de outros bichos, já que aqui eles não tinham água suficiente. Fora isso já estavam acostumados com os ambientes molhados, até mesmo como forma de reduzir o calor”, destaca.


Clique aqui e curta a página do meionorte.com no Facebook








Fonte: Francy Teixeira