Mulher que inventou sequestro de recém-nascido pode ter depressão

Mulher que inventou sequestro de recém-nascido pode ter depressão

Família investiga se jovem queria trocar criança por dinheiro no centro de BH.

O marido e o pai da mulher que simulou o sequestro do próprio filho para entregá-lo a uma casal no centro de Belo Horizonte acreditam que a jovem sofra de depressão pós-parto.

Jhoney Lima Santos Nulhia reencontrou o filho no Rio de Janeiro e voltou a BH na madrugada desta terça-feira (26). Ele ainda não compreende como a companheira, com quem convive há quatro anos, decidiu entregar o filho após combinar a entrega na internet.

? Está muito difícil a aceitação. Ela ainda não me explicou nada. Pra mim, provavelmente, ela está com algum distúrbio pós-parto.

O avô do pequeno Arthur Pietro Nulhia acredita que Renata da Costa, 19 anos, já vinha demonstrando sinais de depressão. O pedreiro Paulino Ferreira da Costa saiu de João Monlevade para acompanhar as investigações.

? Não sou médico para falar isso, mas acredito que é uma depressão. Ela está com os olhos muito fundos desde antes de acontecer isso. É complicado, ela vinha reclamando há dois meses que se sentia muito sozinha. Após o marido ir trabalhar e o neném dormir, ela ficava olhando para as paredes.

De acordo com o delegado Bruno Wink, Renata da costa trocou dezenas de e-mails com a mulher que recebeu a criança no último mês. Impressas, as mensagens ocupam cerca de 100 páginas. A polícia investiga se a jovem receberia dinheiro por entregar a criança, o que pode agravar sua condição. Renata está presa em Belo Horizonte.

Fonte: R7, www.r7.com