Médico é acusado de obrigar mulher a engordar para cirurgia; acabou morta

Marido relata que ela se sentia com corpo fora dos padrões para trabalhar com moda

A família da empresária Fernanda Nóbrega, 26 anos, denuncia que um médico endocrinologista tenha sido negligente ao orientar a paciente a engordar e emitido um laudo para que ela realizasse uma cirurgia de redução de estômago. Fernanda foi operada no dia 26 de outubro em Recife (PE) e morreu dois dias depois após complicações.

Segundo o marido, Higor Cayo dos Anjos, a mulher abriu uma loja de roupa havia dois meses e teria decido fazer a cirurgia porque se sentia fora de forma para trabalhar com moda, o que a incomodava. Ela procurou diversos médicos do convênio e nenhum aceitou fazer a redução por considerar que a empresária pudesse perder peso de outra forma. Ela tinha 1,62 metros e 80 kg.

Em mais uma das tentativas, um cirurgião teria indicado um médico, que emitiu um laudo afirmando que Fernanda não conseguia perder peso e recomendando a cirurgia, além de pedir que ela engordasse 10 kg para a operação.

Fernanda ganhou os quilos a mais em apenas um mês. Dois dias após a operação, ela se queixou de dores no peito. A causa da morte foi dada como embolia pulmonar.

A família pediu que o nome do médico não fosse divulgar porque uma ação na Justiça será aberta. Os parentes pretendem registrar também um boletim de ocorrência. A reportagem entrou em contato com o médico citado por eles e foi informada pelo profissional de que Fernanda foi comunicada dos riscos da operação e assinou um documento.


Família acusa médico por morte de mulher que engordou 10 kg para cirurgia de redução de estômago

Fonte: r7