Família compra pizza dentro do prazo de validade e embolarada

Família compra pizza dentro do prazo de validade e embolarada

Imagens do produto foram compartilhadas em rede social. Empresa diz que não pode analisar o caso porque o SAC não foi acionado.

Uma família de São Vicente, no litoral de São Paulo, afirma ter comprado uma pizza embolorada. O produto, que ainda estava dentro do prazo de validade, foi adquirido durante promoção em um supermercado da cidade. A fabricante alega que não pode analisar o caso sem que os consumidores entrem em contato com o Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC) da empresa.

O casal Guilherme Rodrigues Fernandes e Rosângela Giannaccini Fernandes comprou três pizzas de calabresa da marca Sadia, de 460g, que estavam em promoção em um supermercado na Rua Frei Gaspar, no bairro Beira Mar. Os produtos, com prazo de validade até julho de 2013, foram levados para casa e guardados no congelador até que, dois dias depois, veio a surpresa. "Nós já havíamos comido uma das pizzas e, aparentemente, estava boa. Quando abrimos a segunda caixa é que ficamos horrorizados. Estava toda embolorada. Nem tiramos o plástico de tanto nojo. Meu marido quase vomitou", conta Rosângela.

Guilherme explica que pensou em trocar o produto no estabelecimento comercial, mas voltou atrás. "Nossa primeira reação foi a de ir até o supermercado trocar a pizza. Cheguei a procurar o cupom fiscal, mas não encontrei, então desisti. Também não ligamos para o SAC da empresa por achar que não ia dar em nada", relata.

A filha do casal, que também estava em casa e ia comer a pizza, publicou as fotos do produto embolorado em sua página em uma rede social. "Meu objetivo foi orientar e mostrar o que aconteceu, para que outras pessoas não passem pelo que nós passamos. Nem temos a intenção de processar a empresa, o problema pode ter sido no transporte, no armazenamento do supermercado, não dá para saber. Mas é importante divulgar esse absurdo", conclui Guilherme.


Família compra pizza dentro do prazo de validade e embolarada

Outro lado

A empresa BRF, por meio de sua assessoria de imprensa, informa que, com relação à suposta impropriedade verificada pela consumidora, o Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC) não foi acionado. Sem o registro, não há como analisar o caso e, consequentemente, chegar a uma conclusão. Explica ainda que todas as linhas de produção operadas pela BRF, responsável pela marca Sadia, são submetidas a rígidas normas de inspeção, com a finalidade de garantir a qualidade de seus produtos.

Fonte: G1