Família percebeu arranhões no rosto de suspeito de matar jovem

Família percebeu arranhões no rosto de suspeito de matar jovem

Irmãos do mecânico teriam ajudado ele a rebocar o carro da mãe de Aline.

A polícia continua as investigações que apuram a morte da jovem Aline Moreira, 18 anos e tenta localizar o principal suspeito do crime: o padrasto da menina.

O homem trabalhava como mecânico. José Ademir Radol, 48 anos, mantinha um relacionamento recente com a mãe da jovem assassinada, Leonilda Kurlapski.

O último contato dele foi com os irmãos que o ajudaram a rebocar o carro de Leonilda, usado na viagem ao estado de Santa Catarina.

Segundo um primo do suspeito, durante o contato, a família percebeu que o mecânico teria vários arranhões no rosto, mas ninguém imaginava o motivo.

O corpo de Aline foi encontrado ontem à tarde (1º) com um ferimento na testa o que pode indicar a causa da morte. A jovem teria pegado carona com o padrasto para voltar a Curitiba, onde morava com um rapaz.

Fonte: UOL