Farmácia não consegue suprir demanda e pacientes fazem fila para receber insulina

O fornecimento do medicamento para pessoas com diabetes foi retomado na segunda-feira e ontem grande quantidade de pessoas se aglomerou na Unidade de Assistência Farmacêutica para a aquisição

Após ter o fornecimento interrompido por meses, a Unidade de Assistência Farmacêutica retomou a distribuição da insulina Lantus na última segunda-feira. Devido à grande demanda, o medicamento, usado para o tratamento de diabetes em pacientes com quadro mais sério da doença, logo se esgotou rapidamente na manhã de terça-feira e deixou centenas de pacientes bastante chateados com a situação.

Eles se reuniram na sala de distribuição de remédios da Unidade Farmacêutica e protestaram pela interrupção da entrega do mesmo. A demanda foi tamanha que o estoque armazenado na sede não foi suficiente para atender quem estava na fila.

A falta da insulina gerou preocupação nos pacientes, que precisam do remédio para viver. “Sou costureira e tenho um filho diabético, que necessita tomar esta dose diariamente. Cada canetinha do remédio custa mais de R$ 100 e não tenho condições de arcar com este gasto por conta própria.

Cheguei às 8 horas da manhã e fui informada que hoje só liberariam 700 unidades do remédio, mas essa quantidade se esgota em pouco mais de meia hora e eles deveriam saber que a demanda é grande, pois a maioria das pessoas que utiliza este serviço não tem condições de pagar do próprio bolso. Eles não têm estrutura para nos atender”, reclama a costureira Gardênia Macedo.

Consequentemente, as várias pessoas que estavam na fila reclamavam pela falta de organização da Unidade de Assistência Farmacêutica. Em decorrência disso, a unidade solicitou a entrega de 2.000 unidades do medicamento, que estavam guardadas no almoxarifado da Unidade Farmacêutica.

Maurício Reis, gerente administrativo da Unidade de Assistência Farmacêutica, explica a situação. “Este remédio precisa ser guardado em geladeiras e não temos unidades de refrigeração suficientes para guardar tantos remédios.

Entendemos que os pacientes estão ávidos pelo medicamento, e asseguramos que não vai faltar”, informou.

“Asseguramos que não faltará remédio para os pacientes que precisam desta medicação. Temos estoque suficiente para os próximos três meses e a Sesapi elaborou um planejamento que assegurará o recebimento do remédio até o fim do ano. São nove mil unidades já em estoque, que serão distribuídos de acordo com a necessidade de cada paciente”, esclarece Maurício Reis. Como a demanda está grande nos primeiros dias, a administração da Unidade de Assistência Farmacêutica pede a compreensão dos pacientes e pede que eles se dirijam à assistência durante os dias da semana. O atendimento acontece conforme a legislação, priorizando idosos, gestantes, lactantes, pessoas com deficiência ou com crianças de colo, mas todos serão atendidos.

A retomada da distribuição do remédio só foi possível graças ao parcelamento da dívida com o fabricante. A distribuição estava suspensa desde o ano passado por dívidas contraídas no governo anterior. Para dar conta da demanda, o atendimento aos pacientes com diabetes foi ampliado e a Assistência Farmacêutica agora disponibiliza quatro farmacêuticos e quatro atendentes aptos a atender a clientela.

A insulina Lantus é um medicamento especial, administrado em diabéticos que não reagem bem à primeira linha de tratamento oferecida pelo serviço de saúde. É um medicamento mais cômodo, onde o paciente não sofre tanta dor ao administrar o remédio.

O programa Diabetes atende mais de 1.700 pacientes cadastrados, tanto para medicamentos orais como para insulina, tendo seu atendimento realizado das 8h às 12h, no 2º andar, sala 204, na Rua 24 de Janeiro, nº 124. Para mais informações, o usuário pode ligar para o número 3216 3654.

 

Fonte: Olegário Borges