Remédio é até 90% mais barato em farmácia popular

Remédio é até 90% mais barato em farmácia popular

surgimento das farmácias consideradas populares contribuiu para as classes C, D e E.

O surgimento das farmácias consideradas populares contribuiu para as classes C, D e E terem acesso aos remédios dos mais variados tipos. Podendo ser comercializado a um preço bem mais em conta, pode ajudar no tratamento de doenças como o reumatismo de Maria de Jesus.

De acordo com o gerente de uma loja que integra uma rede popular de farmácia em Teresina, o medicamento vendido nesses estabelecimentos podem ser até 90% mais baratos que os convencionais. ?Somos uma farmácia como qualquer outra. O diferencial é o desconto. Vendemos medicamentos genéricos e linha popular. E todo medicamento tem percentual de desconto?, assegura Antônio Luis.

Outra forma de se conseguir remédios a um preço mais em conta é através do Programa Farmácia Popular, do Governo Federal que assim como as redes de farmácias populares distribuídas pelo país afora, oferecem descontos de até 90% em remédios. E ainda possui medicamentos que podem ser adquiridos de graça.

Contudo, para se conseguir essa facilidade, é preciso apresentar a receita atualizada com o registro do médico legível, além de identidade, CPF e comprovante de endereço. Com o programa, o cliente também pode esbarrar em outra dificuldade. ?Outra pessoa só pode vir no lugar se tiver procuração?, explica a atendente da farmácia que atende pelo Programa Farmácia Popular.

O preço é a melhor vantagem. Um remédio para osteoporose, por exemplo, pode ser encontrado nas farmácias convencionais por até 25,00. No entanto, pelo Programa Farmácia Popular, o produto é vendido por R$9,90, ou seja, quase três vezes o valor do remédio normal.

Atualmente, o programa oferece apenas 25 itens, desses, 14 são distribuídos gratuitamente e o restante é vendido com até 90% de desconto. São medicamentos para hipertensão, diabetes, asma, colesterol, osteoporose, glaucoma, rinite, doença de Parkinson, além de contraceptivos e fraldas geriátricas.

O valor gera dúvidas em muitas pessoas, e segundo o gerente da farmácia que integra uma rede de farmácias popular, ainda há um certo preconceito, sobretudo da classe C, D e E, que mais necessita de medicamentos a um custo baixo. ?Essas classes desconfiam mais da qualidade, mas é o mesmo medicamento. Para se ter ideia, tem médicos, farmacêuticos que optam por comprar aqui?, Como forma de evitar até mesmo a comercialização de remédios falsificados, o Ministério da Saúde recomenda alguns cuidados para identificar os medicamentos do Programa Farmácia Popular.

O adesivo de estabelecimento credenciado é a primeira marca que deve ser notada por quem procura o programa. O selo holográfico é obrigatório e deve ficar sempre ao lado do caixa. Outro sinalizador importante é o banner, que deve estar exposto na frente do estabelecimento ou perto do caixa. E ainda, é possível procurar por um cartaz que exibe os valores de referência dos medicamentos/fraldas. A peça deve estar visível ao consumidor, que poderá consultar o preço de referência pago pelo Ministério da Saúde, caso necessário.

O uso incorreto de remédios é prejudicial

Com a melhora do sintoma é bastante comum as pessoas abandonarem o uso de medicamentos e não seguem com o tratamento como o determinado pelo especialista. No entanto, tomar o medicamento de forma incorreta ou interromper o tratamento pela metade ou assim que já se sentir melhor pode trazer uma série de consequências. De acordo com o Dr. Erick Barros, em todos os casos, podem levar a um agravamento e até a ?agonização? do quadro clínico.

?No caso de doença crônica, a descontinuidade vai levar a agonizaçao da doença, podendo evoluir até a um acidente vascular cerebral. Se for homeopata, pode gerar arritimia e outros problemas. No caso infeccioso, pode tornar uma infecção mais avançada, mais difícil de ser tratada descontinuando. Por isso é importante que siga o tratamento?.

Por sua vez, tomar remédio em grande quantidade não ajuda para uma melhora mais efetiva e pode até comprometer o organismo. A prescrição médica indica o período certo para se tomar um medicamento e deve ser seguido à risca. (V.S.)

Fonte: Virgínia Santos