Fazenda da Paz: Dependentes aprendem a fazer cajuína; confira

Fazenda da Paz: Dependentes aprendem a fazer cajuína; confira

O curso visa garantir mais uma possibilidade de reinserção social aos dependentes químicos.

Sete internos da Fazenda da Paz (comunidade terapêutica que trata dependentes químicos) tiveram, na manhã de ontem, aulas do curso de preparo de cajuína, que teve início na terçafeira (12). O curso, que segue até sexta-feira, é realizado no centro de produção da entidade, na região central de Teresina.

O curso visa garantir mais uma possibilidade de reinserção social aos dependentes químicos em tratamento na Fazenda da Paz. A capacitação em preparo de cajuína mostra todas as etapas da fabricação, desde a parte do preparo do caju até a comercialização do produto. Junto com outros produtores, os internos acompanharam com atenção as instruções do agrônomo e consultor do Sebrae, Lenildo Lima.

Além dos internos da Fazenda da Paz, o treinamento é destinado a pessoas que estão iniciando na atividade de agroindústria da cajuína e aos produtores que irão fabricá-la em pequena ou grande quantidade. Em 2010, foram produzidas 37 mil garrafas de cajuína na Fazenda da Paz. A colheita deste ano começa a partir de setembro e promete ser maior do que a anterior. Todo o processo é feito pelos dependentes químicos da unidade de tratamento Terra da Esperança.

O terapeuta Belisário Pena afirma que as técnicas aprendidas no curso podem ser utilizadas também em outras áreas. ?Nossa capacitação envolve um processo amplo, que mostra detalhes da aquisição de insumos, gerenciamento de produção e técnica de vendas. Os internos que participam das atividades entram em contanto com todos esses momentos distintos, e podem usar essas experiências para buscar a reinserção no mercado de trabalho ao saírem da Fazenda da Paz?, relatou Belisário, que é um dos coordenadores da instituição.

Ainda de acordo com o terapeuta, ex-internos da Fazenda da Paz já estão aplicando em outras áreas os conhecimentos adquiridos no processo de produção e comercialização da cajuína. ?Um deles está trabalhando no setor de compras de uma rede de supermercados, e outro utilizou as técnicas de produção de cajuína na propriedade particular da família?, afirmou o terapeuta.

Fonte: Dowglas Lima