Filho de casal gay agredido em escola morre após passar uma semana em coma

. Estamos tristes e decidimos divulgar o que aconteceu para que isso não se repita com outras crianças", afirmou o pai Márcio Nogueira.

O adolescente Peterson Ricardo de Oliveira, de 14 anos, que estava em coma desde a semana passada morreu na tarde desta segunda-feira (9). Segundo a família, ele foi vítima de uma agressão homofóbica na escola por ser filho de um casal homossexual.

A agressão ocorreu na última quinta-feira (5) na escola pública na Vila Jamil, em Ferraz de Vasconcelos, em São Paulo, onde ele estudava desde os seis anos. O irmão, que também frequentava a escola, presenciou a agressão.

"Eu não sabia que meu filho sofria por ser filho de um casal homossexual O delegado nos informou. Estamos tristes e decidimos divulgar o que aconteceu para que isso não se repita com outras crianças", afirmou o pai Márcio Nogueira.

Segundo o delegado Eduardo Boiguez, da delegacia de Itaquaquecetuba, o garoto havia brigado horas antes de passar mal e precisar ser levado da escola para o hospital. "Ele brigou com alguns garotos na entrada da escola e passou mal quatro horas depois. Ele brincou, assistiu aula e depois passou mal. Ele já tinha um aneurisma. Não podemos afirmar que ele passou mal por conta da briga".

A Secretaria Estadual de Educação e a Secretaria Estadual de Saúde negam a versão da família. E a Secretaria Estadual de Educação diz que não há registro de agressão no interior da unidade onde o adolescente estudava.

O garoto deu entrada ao Hospital Regional de Ferraz de Vasconcelos na quinta-feira com parada cardiorrespiratória e passou por processo de reanimação. Exames monstraram que a vítima teve hemorragia, mas não apresentava sinais externos de violência física. "Queremos que a justiça seja feita", diz o pai.

Fonte: R7