Filho de ex-Legião acumula quase US$ 1 milhão em prêmios de pôquer

Nicolau Villa-Lobos, filho de Dado, joga torneios com melhores do mundo

O dia 27 de maio de 2013 foi um marco na história do pôquer online brasileiro. O carioca Nicolau Villa-Lobos ganhou o maior prêmio do país na categoria: US$ 472 mil no Spring Championship of Online Poker (Scoop), segundo o site Poker Stars. Estudante de cinema da PUC-Rio e filho do músico Dado Villa-Lobos, ex-guitarrista do Legião Urbana, o jogador recebeu o G1 em sua casa, na Gávea, Zona Sul do Rio, para contar sobre suas façanhas na jogatina, que já lhe renderam quase US$ 1 milhão.

Nicolau já havia vencido a etapa de Edimburgo, na Escócia, do United Kingdom Poker Tour (série de torneios do Reino Unido) em janeiro deste ano. Em 2012, foi vice-campeão na etapa carioca do Brazilian Series of Poker, o circuito brasileiro. Todas as vitórias foram na modalidade Texas Hold"em, tipo de pôquer em que o jogador recebe duas cartas na mão e monta uma combinação com as cinco da mesa.

Apaixonado por música e torcedor do Fluminense, Nicolau começou a jogar por razões de saúde. Em 2007, aos 18 anos, descobriu que tinha uma doença no coração, passou por uma cirurgia e precisou ficar de repouso em casa. "Eu sempre fui muito ligado a esportes, mas fiquei de seis meses a um ano sem contato físico. Assim eu descobri o pôquer. Comecei a jogar com a galera aqui em casa, confraternizando. E eu sou muito competitivo, quero ganhar tudo o que eu faço", explicou.

Pai cortou a mesada

Nicolau conta que seus pais o apoiaram a prosseguir com a carreira, mas que recebeu um aviso de Dado Villa-Lobos. "Quando eu comecei a ganhar dinheiro na internet, meu pai falou: "Tá bom. Você quer fazer isso, pode fazer. Mas não sou eu quem vai sustentar isso". E cortou minha mesada [risos]. Eu acredito que eu tenho os melhores pais do mundo. Sempre me apoiaram e querem minha felicidade."

Uma das primeiras dificuldades para manter a carreira no pôquer foi bancar os custos com viagens e entrada nos torneios internacionais. A solução foi juntar dinheiro com dois amigos para jogar as competições.

O primeiro destino foi Las Vegas, nos Estados Unidos, onde jogou o torneio principal do World Series of Poker (circuito mundial). Na classificação final, Nicolau foi o brasileiro mais bem colocado ? 77º entre 6,5 mil jogadores.

Em mesas internacionais, o carioca competiu com os melhores do mundo no esporte, como os americanos Tom Dwan, especialista em campeonatos de alto valor, e Barry Greenstein, vencedor de torneios do World Series. Ele também conheceu destaques brasileiros do pôquer, como André Akkari e Alexandre Gomes, outros vencedores de torneios do circuito mundial, e Caio Pessanho, renomado jogador online.

Participação em "Somos tão jovens"

Nicolau Villa-Lobos, filho de Dado, guitarrista da Legião, interpreta o pai em participação rápida no filme dirigido por Antônio Carlos da Fontoura, ?Somos tão jovens?, que mostra o início da história do grupo mais famoso de Renato Russo.

Ronaldo como garoto-propaganda

Nicolau elogiou o trabalho da confederação brasileira Texas Hold"em no combate ao preconceito. "O pôquer hoje em dia é considerado um esporte da mente, assim com o xadrez. Agora a gente tem ninguém menos que o Ronaldo Fenômeno como representante do Poker Stars [site de pôquer online]. Para um cara desses estar levando a bandeira do pôquer pro Brasil... O esporte é sério, tem muita gente séria envolvida. As pessoas que não conhecem muito acham que é jogo de azar. Está todo mundo trabalhando muito para acabar com esse preconceito", disse Nicolau, que se prepara para o próximo desafio, no World Series of Poker, em Las Vegas, em julho deste ano.

Legislação do pôquer

Não existe uma legislação específica para a prática de pôquer no Brasil. O Ministério dos Esportes informou ao G1 que divulga o calendários de diversas modalidades, inclusive da Confederação Brasileira de Texas Hold"em.

Competições de pôquer já foram alvo de ações penais pelo Brasil. Em Santa Catarina, a Secretaria de Estado da Segurança Pública se negou a conceder um alvará para a realização de um torneio, com o argumento de que se tratava de um "jogo de azar", em 2011. Em decisão unânime, o Tribunal de Justiça concedeu um mandado de segurança para a realização do campeonato.

Os desembargadores entenderam que o pôquer depende também das habilidades dos jogadores. Pela Lei de Contravenções Penais, é considerado de azar o jogo em que o resultado depende exclusivamente da sorte.



Fonte: G1