Ação de grevistas pode afetar distribuição de remédios

Segundo a Fundação, manifestantes vem tentando, há pelo menos dois dias, dificultar a circulação de caminhões e de carros ligados à FMS

A Fundação Municipal de Saúde Contestou a informação de que os motoristas do órgão estariam em greve, acompanhando a paralisação dos servidores municipais, e acusou os grevistas de tentar impedir a circulação dos caminhões de distribuição de medicamentos e de material para exames laboratoriais. A informação foi repassada pela Assessoria de Comunicação da FMS.

Segundo a Fundação, manifestantes vem tentando, há pelo menos dois dias, dificultar a circulação de caminhões e de carros ligados à FMS. Com isso, estariam ocorrendo atrasos na rota desses veículos, situação que pode prejudicar os serviços de distribuição de medicamentos para hospitais e postos de saúde, bem como o transporte de material de exames laboratoriais para o laboratório Raul Bacelar, encarregado de fazer a análise. O fato, inclusive, já foi levado ao conhecimento do presidente da FMS, Luiz Lobão.

A Fundação informou ainda que, na manhã de hoje, foi feito um levantamento em todas as regionais de saúde da capital, e foi constatado de que osa motoristas não se encontram em paralisação.

O portal meionorte.com tentou entrar em contato com o Sindicato dos Servidores Municipais (Sindserm), mas até agora não obteve resposta.

Fonte: Dowglas Lima