FMS quer parceria com moradores no combate à dengue na zona norte

Mais de cinco mil sacos de lixo já foram distribuídos aos moradores

A região da Santa Maria da Codipi, zona Norte, é o local de Teresina onde a Fundação Municipal de Saúde (FMS) encontra o maior número de criadouros de mosquito da Dengue. Para diminuir esse indicador, a FMS iniciou um mutirão de limpeza no bairro para sensibilizar ainda mais os moradores para que eles sejam parceiros do setor público no combate à Dengue e Chikungunya. A atividade de limpeza e educação em saúde segue ate o dia 10 de agosto. 

“O mutirão tem o objetivo de sensibilizar os moradores quanto à importância da organização e da mobilização comunitária, para o encaminhamento das questões coletivas, despertando na população o espírito de contribuição coletiva para a minimização dos índices vetoriais das doenças consideradas graves problemas de saúde pública. Temos a intenção de provocar a participação das famílias moradoras daquela região, incentivando-as ao exercício da ação coletiva, através da perspectiva, da melhoria das condições higiênico-sanitárias do local de moradia”, falou a coordenadora do Núcleo de Educação em Saúde da FMS, Júlia Rocha Santos. 

Equipes da Estratégia Saúde da Família da UBS da Santa Maria da Codipi também estão envolvidas diretamente nas ações de conscientização da população quanto ao combate ao mosquito causador da Dengue e Chikungunya. “Nossas equipes estão fazendo o trabalho de distribuição de material informativo, sacos de lixo e hipoclorito de sódio. Para que as famílias fiquem ainda mais informadas das diversas atividades rotineiras que podem e devem ser feitas para combatermos o mosquito da Dengue”, afirmou a coordenadora da referida UBS, Darlene Mendes. 

Mais de cinco mil sacos de lixo já foram distribuídos aos moradores da Santa Maria da Codipi para que eles acondicionem seus resíduos de forma correta e possam colocá-los na calçada para que as equipes de limpeza da Superintendência de Desenvolvimento Urbano (SDU) Centro/Norte recolham tudo aquilo que esteja nos quintas das casas e que possam servir como possíveis criadouros de mosquito. “Esse é o momento das pessoas colocarem no lixo aquele móvel velho, vasilhas, pneus, enfim tudo aquilo que possa estar nos arredores da residência acumulando água”, explicou Júlia Rocha Santos. 

Fonte: FMS