FMS realizará capacitação de controle e prevenção de focos do Aedes

As inscrições estão sendo feitas pelo email [email protected]

A Fundação Municipal de Saúde (FMS) está com inscrições abertas para o curso de capacitação para controle e prevenção de dengue, zika e chikungunya. O curso é aberto para qualquer pessoa que deseje ser multiplicadora de conhecimentos sobre o combate ao mosquito Aedes aegypti.

As inscrições estão sendo recebidas pelo email do Núcleo de Educação em Saúde (NESC), o[email protected], por meio de preenchimento da ficha de inscrição. Eles podem ser enviados até o dia das próximas capacitações, que estão programadas para os dias 18, 21, 28 e 30 de março. 

“Pedimos no entanto que os interessados enviem suas fichas com antecedência para que possamos realizar a organização das turmas”, afirma Júlia Mesquita Rocha, coordenadora do Núcleo de Educação em Saúde da FMS

O objetivo da atividade, realizada em parceria da FMS com a FUNASA, é fazer com que todos os participantes estejam aptos para combaterem o Aedes aegypti e divulgarem o que sabem para todos com quem convivem. “Nossa meta é capacitar 240 pessoas que atuam em locais de grande público para que essas pessoas sejam multiplicadoras das informações junto a seus locais de trabalho e estudos”, informa a coordenadora.

O curso é formado por oito turmas com carga horária de oito horas, sendo quatro horas de aula teórica e quatro horas de aula prática para cada turma. A parte teórica, que ocorre pela manhã no auditório da FMS, é ministrada por uma médica pediátrica, Amariles Borba, dois infectologistas, Amparo Salmito e Kelsen Eulálio, um neorologista, Marcelo Adriano Vieira, uma educadora em saúde, Raimunda Nonato e uma bióloga, Júlia Mesquita Rocha.

Já a parte prática do curso acontece pela tarde na Gerência de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador (GEVISAST), localizada na Rua Riachuelo, 2988, Matadouro e será operacionalizado pela médica veterinária e gerente de Zoonoses, Oriana Bezerra. “É muito importante que o curso seja feito completo, pois é na parte prática que os participantes vivenciam ‘in loco’ as ações de prevenção e controle ao Aedes aegypti”, destaca Júlia Rocha.

O Combate à dengue, chikungunya e zika é uma responsabilidade dos órgãos públicos e de toda população. A sensibilização da população e a adoção de medidas preventivas e de eliminação do vetor são de fundamental importância para o controle e combate destas doenças no Brasil. 

“Há a necessidade de um plano emergencial que suscite a corresponsabilização da população no controle e prevenção do vetor transmissor e o atendimento aos pacientes com manifestações neurológicas associadas às epidemias de dengue, chikungunya e zika”, diz Júlia Rocha, lembrando ainda que combater o mosquito é uma questão de atitude.

Fonte: Portal MN