Fogo destrói barracões de escolas de samba na zona portuária do Rio de Janeiro; fotos!

Fogo destrói barracões de escolas de samba na zona portuária do Rio de Janeiro; fotos!

A nuvem de fumaça negra pode ser vista à distância e paredes do local começam a cair no local.

A história se repete. Assim como no ano passado , dessa vez foram as escolas de samba menores que sofreram com o fogo em suas alegorias. Bombeiros foram acionados na tarde desta quarta-feira (31) devido a um incêndio na Rua Equador, próximo à Cidade do Samba, na zona portuária do Rio. As chamas atingiram alguns barracões de escolas de samba da Série A, antigo Grupo de Acesso, entre eles, Porto da Pedra, Alegria da Zona Sul e Flor da Mina do Andaraí.

As duas primeiras desfilam na Sapucaí, e a terceira desfila na Intendente Magalhães. A nuvem de fumaça negra pode ser vista à distância e paredes do local começam a cair no local.

Ainda não há detalhes sobre a proporção do incidente nem informações sobre vítimas. Devido ao incêndio, a Rua da Gamboa encontra-se interditada para o trabalho dos bombeiros. Equipes da CET-Rio e do Consórcio Porto Novo também já se encontram no local. O elevado da perimetral encontra-se congestionado.

Informações de internautas nas redes sociais dão conta de que a Porto da Pedra perdeu no incêndio maquinário e estoque de materiais para fantasias. Os prejuízos maiores ficaram para Alegria da Zona Sul e Flor da Mina, que perderam tudo que tinham nos barracões.

A Porto da Pedra desceu do grupo Especial no último carnaval, com o enredo sobre iogurte. Para o próximo carnaval, a escola de São Gonçalo prepara um enredo baseado na história dos sapatos. A Alegria da Zona Sul vem com uma homenagem ao tradicional bloco Cordão do Bola Preta.

Em 2011 foi a vez das escolas da elite do samba carioca passarem pelo sufoco de verem seus trabalhos destruídos pelo fogo. O incêndio que atingiu os barracões da Grande Rio, União da Ilha e Portela na Cidade do Samba, na zona portuária, fez com que as agremiações desfilassem sem participar da competição daquele ano. Os desfiles eram avaliados em R$ 19 milhões.

Ainda não é possível calcular os danos financeiros desse incêndio entre as escolas menores.













Fonte: IG