Foliões em trânsito serão alvo da Polícia Rodoviária Federal no PI

Foliões em trânsito serão alvo da Polícia Rodoviária Federal no PI

O fluxo de veículos começou a aumentar nas saídas de Teresina a partir do meio dia de ontem

Das seis mortes por acidente de trânsito do período carnavalesco do ano passado, três aconteceram em desastres envolvendo veículos conduzidos por foliões que optaram por ficar transitando entre diferentes cidades no decorrer dos dias de festa. Com base nesse dado, a Polícia Rodoviária Federal no Piauí (PRF-PI) determinou que o trabalho de monitoramento desse tipo de situação recebe atenção especial neste ano.

Para tanto, as viaturas utilizadas na operação carnaval deixaram, ainda no início da manhã de ontem, a sede da PRF-PI em Teresina, para dirigir-se aos dois principais eixos de atuação: de Teresina até Floriano, e da capital até Parnaíba e Luís Correia, trechos apontados pela Polícia Rodoviária como os mais movimentados e concentradores de riscos de acidentes.

O fluxo de veículos começou a aumentar nas saídas de Teresina a partir do meio dia de ontem. Segundo a PRF, 40 viaturas da corporação serão dispostas ao longo das rodovias federais do estado, incluindo veículos operacionais e duas UTIs móveis, que oferecem equipamentos para a realização de pequenos procedimentos cirúrgicos. Para atuar nas UTIs, a PRF dispõe de cardiologistas, ortopedistas, enfermeiros e outros profissionais da saúde.

A PRF também está apertando o cerco contra motoristas que dirigem alcoolizados: de acordo com o órgão, a média de prisões por embriaguez em 2011 é de um motorista por dia. No ano passado, além das seis mortes, 32 feridos e 42 acidentes, o a Polícia Rodoviária registrou 11 prisões por crimes de trânsito, 1.318 autuações e 200 veículos retidos.

A corporação divulgou ontem (04) a relação dos pontos mais perigosos das estradas federais do Piauí quanto a risco de acidentes. Entre eles, figura o entroncamento entre as BRs 343 e 222, após Piripiri, no acesso para Parnaíba. No local, em 2010, morreram cinco pessoas da mesma família em um único acidente. O motorista deve ter cuidado ao cruzar a BR, pois veículos pesados que vêm em sentido oposto têm menor visibilidade e, devido ao peso, maior dificuldade para frenagem. (D.L.)

Fonte: Dowglas Lima, Jornal Meio Norte