Funcionários da Eletrobras e Chesf entram em greve no PI

Uma greve por tempo indeterminado foi deflagrada ontem por funcionários da Eletrobras e da Chesf em todo o país

Greve dos trabalhadores da Eletrobras Distribuidora Piauí e da CHESF iniciou ontem, 15, por tempo indeterminado.

Neste primeiro dia, os funcionários armaram uma tenda em frente a distribuidora com som e faixas para reivindicar reposição salarial com ganho real, abono, não privatização das estatais, dentre outras pautas.

Segundo o presidente do Sindicato dos Urbanitários, Francisco Ferreira, governo apresentou uma proposta de aumento no valor que não expressava ganho real para a categoria, pois corrigia apenas a reposição da inflação, dada pelo IPCA, em torno de 6,59%.

Além disso, o governo oferece 03 talonários de tíquete-alimentação no valor de R$ 700,00, como abono. No entanto os grevistas recusam a proposta, pois almejam um número superior ou igual ao do ano passado, que foi de quatro talonários.

Também reivindicam um aumento de 10,5%, com ganho salarial real em torno de 4,5%. ?Estamos pedindo aumento baseados no aumento do consumo de energia, que foi de 4,7% nos últimos 03 anos?, declara.

A paralisação do órgão é total, fora o que a lei determina, que é a prestação de 30% dos serviços. Segundo Ferreira, os trabalhadores estão oferecendo mais serviços do que o determinado pela lei.

De acordo com ele, para que a população não sofra maiores consequências, estão funcionado os setores de atendimento ao público, informática e contabilidade. No entanto, ele constata que quase 100% do setor administrativo está paralisado.

Segundo o assistente da presidência da Eletrobras Distribuidora Piauí, José Salan, as negociações dessa greve não estão sendo realizadas pela administração local. E, portanto, é necessário aguardar um posicionamento da holding no Rio de Janeiro.

Fonte: Vicente de Paula