Funcionários da Eletrobras entram em greve por tempo indeterminado

Os trabalhadores reivindicam reajuste de 10,47% e ainda benefícios como o ganho real e Participação nos Lucros e Resultados (PLR).

Os servidores da Eletrobras Distribuição Piauí iniciaram ontem uma greve por tempo indeterminado, para cobrar reajuste salarial para a categoria. Eles realizaram uma paralisação de 72 horas na semana passada com o objetivo de avançar nas negociações, mas o insucesso da tentativa culminou com a greve que se estende aos postos da estatal em todo o estado.

A Eletrobras propôs reajuste de 5,1%, enquanto os trabalhadores pedem 10,47%. ?Tivemos uma rodada de negociação dia 11 deste mês, em Brasília, para tentar negociar nossas reivindicações, mas não tivemos um retorno satisfatório.

Eles querem dá uma reajuste que cubra só a inflação do período e nós queremos isso mais ganho real e ainda o reajuste da tarifa de energia que fecha nos 10,47%?, disse Paulo Sampaio, do comando de greve. Na semana passada, a reivindicação de advertência aconteceu nos dias 4, 5 e 6.

As outras reivindicações da categoria são ganho real e Participação nos Lucros e Resultados (PLR), melhoria no Plano de Carreira e Remuneração (PCR) e valorização da categoria, plano de saúde extensivo aos aposentados e renovação de concessões.

?Nós também estamos preocupados com as pretensões da empresa em relação à redução de 6% em função da amortização. Eles pretendem repassar para nós as consequências dessa redução?, disse.

Com a greve estão parados todos os serviços administrativos da Eletrobrás. Funcionam somente serviços essenciais como os de pronto-atendimento e ouvidoria tanto em Teresina como no interior do estado.

Também estão parados funcionários da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf). Essa é uma paralisação nacional. ?Cerca de 1.500 funcionários da Eletrobras e 500 da Chesf deverão paralisar suas atividades durante a greve?, disse Paulo Sampaio.

Fonte: Pollyanna Carvalho