Gambiarras deixam em situação de risco desabrigados do Ginásio Edmílson Jorge

Gambiarras elétricas colocam em risco a vida dos moradores,principalmente das crianças que residem no local, e que estão mais susceptívei a esse risco

A triste história dos moradores desabrigados da vila Kalfix que se encontram alojados no ginásio Edmilson Gomes, no Dirceu, zona Sudeste de Teresina, devido ao alagamento da região após fortes chuvas, ganha um novo capítulo de dramaticidade. Gambiarras elétricas colocam em risco a vida dos moradores, principalmente das cerca de 60 crianças que residem no local, e que estão mais susceptíveis a esse risco. Durante esse período do ano, a situação se torna mais preocupante pela maior incidência de chuvas na capital. Caso haja o contato da água com as fiações irregulares, a probabilidade de curtos-circuitos no ginásio tende a aumentar.

De acordo com a desabrigada Maria de Lourdes, uma gambiarra instalada ao lado de sua cama tira seu sono todos os dias. Ela diz que não consegue mais dormir com medo de que o pior aconteça. ?Caso ocorra uma chuva mais forte estamos à mercê da sorte. Se a água bater nesses fios é arriscado dar curtos-circuitos e acontecer alguma tragédia com os moradores, principalmente as crianças?, afirmou a dona de casa.

Wilma Pereira foi uma das moradoras que já sentiram na pele o problema com as gambiarras no ginásio. Ela perdeu dois ventiladores em menos de um mês devido o problema no local. ?Já perdi meus ventiladores e agora não sei mais o que falta acontecer para tomarem uma atitude. Perdemos quase tudo com as chuvas e agora temos que passar por esse tipo de situação?, relatou. Segundo a assessoria da SDU Sudeste, o órgão ainda não tinha conhecimento da situação de perigo com as gambiarras, mas que fará vistoria no local o mais breve possível para reparar o problema.

Outro problema enfrentado pelos desabrigados nesses últimos dias chuvosos é a entrada de água no ginásio pelos espaços abertos que, além de comprometer os utensílios domésticos das famílias, coloca em risco a saúde dos moradores. ?Crianças, idosos e os moradores em geral ficam susceptíveis a contrair doenças mais comuns como uma gripe e resfriado, ou até mesmo uma pneumonia. Várias crianças contraíram doenças devido a esse fato. A situação não piorou porque recebemos remédios da Prefeitura de Teresina?, revelou a moradora Maria da Cruz, que se queixa ainda de não ter recebido nenhum colchão após os alagamentos na Vila Kalfix.

Famílias enfrentam problemas de convívio

O vereador Rodrigo Martins (PSB), em visita ao ginásio, ratifica sua posição já revelada sobre as más condições que as famílias ainda passam no local. Segundo ele, a situação já foi pior, mas ainda há muito em que melhorar. ?As condições de higiene, alimentação e de saúde pública não são as ideais. Não há como uma família se manter com apenas uma cesta básica por mês, sendo que em grande maioria possuem mais de cinco membros. Eles fazem necessidades no mesmo banheiro, não tem privacidade. Isso é lamentável.

Ele afirma ainda que o futuro local onde essas famílias se instalarão - que provavelmente será o Residencial Flor do Campo, zona Sudeste de Teresina - terá que disponibilizar não só a casa, mas também toda uma infraestrutura necessária para o convívio social destas famílias. ?Não adianta dar apenas uma casa. É necessário disponibilizar toda uma infraestrutura a elas, como postos de saúde, escolas, creches, entre outras iniciativas, que beneficiarão a inclusão social dessas pessoas?, afirmou. O problema da convivência entre as famílias é um das grandes dificuldades enfrentadas por elas nesse período.

Segundo a moradora Maria Neide, as crianças são expostas a situações pornográficas no ginásio. ?Há pessoas que mantêm relações sexuais sem nenhum tipo de pudor, praticamente na frente de todos e até de crianças. Outras que pegam nossas coisas sem pedir permissão?, disse a desabrigada, que só pode almoçar às 17 horas, por dividir com 33 famílias uma única torneira para lavar roupas, louças, entre outros afazeres domésticos.

Fonte: Patrício Lima