Garoto agredido por professor vai receber apoio psicológico

A escola afirma que vai disponibilizar acompanhamento profissional



O adolescente de 13 anos que foi agredido por um professor de artes marciais na escola, em Cariacica, vai receber acompanhamento psicológico, segundo o diretor da Escola Municipal Angelo Zani, Fernando Luiz Santos de Araújo. Nesta quinta-feira (21), um dia após a agressão, a direção da escola e alguns colegas de classe foram visitar o adolescente em casa.

Segundo o diretor, o adolescente foi liberado das aulas até segunda-feira. A escola vai disponibilizar, por meio da Secretaria de Educação, acompanhamento psicológico para o aluno. O diretor explicou também que o professor é, na verdade, um monitor voluntário, que não tem formação superior para dar aulas.

"O monitor não tem vínculo com a prefeitura, é voluntário de um projeto e dá ofina na escola há dois anos. Como houve esse incidente, ele foi automaticamente desligado do projeto", afirma Fernando Luiz.

Por telefone, o adolescente disse que se sente melhor e que pretende voltar à escola na segunda-feira. A mãe dele está revoltada porque o professor não ficou preso. "Quando vi no jornal que ele estava solto, fiquei mais revoltada ainda! Ele tinha que pagar pelo que ele fez!", afirma.

A indignação da mãe do adolescente é ainda maior ao ver o filho machucado e envergonhado. "Ele está quieto, no canto dele, diferente do normal. O rosto está inchado, acho que ele está com vergonha. Não sei qual vai ser minha reação se encontrar esse professor. Não tenho estrutura para conversar com o homem que espancou meu filho. Crio meus filhos sozinha e nunca agredi nenhum deles. É uma revolta muito grande", desabafa.

Fonte: G1