Gêmeos nascem quatro meses prematuros e com buracos nos corações

A jovem vinha tendo uma gravidez tranquila até a bolsa de Archie estourar com 21 semanas de gestação.

Quando Archie e Harley Garthwaite nasceram com apenas 23 semanas e buracos em seus corações, seus pais foram orientados a esperar o pior. Os médicos disseram que seria um milagre se algum deles sobrevivesse.

Além do defeito cardíaco, os meninos - que não são idênticos - tinham problemas intestinais e eram incapazes de respirar por conta própria. Com apenas duas semanas de idade, Archie teve que passar por uma cirurgia cardíaca. Duas semanas depois, seu irmão passou pelo mesmo procedimento.

Outras operações tiveram que ser feitas ainda para corrigir os problemas intestinais dos bebês, além de um tratamento a laser para estimular seus olhos subdesenvolvidos. "Foi o momento mais assustador de nossas vidas", disse a mãe Hayley, 20, ao jornal britânico Daily Mail.

A jovem vinha tendo uma gravidez tranquila até a bolsa de Archie estourar com 21 semanas de gestação. O casal passou as próximas duas semanas no hospital, onde médicos tentaram desesperadamente retardar o nascimento dos gêmeos, devido aos riscos de dar à luz tão prematuramente.

Mas com 23 semanas, Hayley começou a sofrer fortes contrações e a chegada de Archie parecia iminente. Logo que nasceu, o bebê foi colocado em uma incubadora e ligado a aparelhos respiratórios. O irmão do menino chegou duas horas e meia mais tarde.

"Os médicos disseram-nos para estar preparados para perdê-los a qualquer momento porque as chances de que um deles sobrevivesse a cirurgia eram mínimas?.

Mas os meninos tiveram uma recuperação incrível e surpreenderam a todos. Archie já está em casa, mas requer uma fonte de oxigênio. Harley ainda está no hospital, mas deve receber alta nas próximas semanas. "Para chegar a este momento de ter um deles em casa e outro quase pronto para voltar é simplesmente alucinante. Eu sou a mãe mais orgulhosa do mundo e eles são nossos pequenos milagres".

O médico Chidambara Harikumar, que ajudou no parto dos bebês, disse que eles são os únicos gêmeos que já conheceu a nascer tão prematuramente e sobreviver. "Só um em cada dez bebês nascidos com 23 semanas sobrevive e aqueles que conseguem, um em cada dois terá danos cerebrais. Estamos falando portanto de apenas um em cada 20 bebês vai sair dessa sem danos?.

O médico disse ao jornal achar fantástica a recuperação dos gêmeos. "Eu estava lá quando eles nasceram e eu não achei que eles iriam sobreviver, pois eram muito pequenos e tinham a pele muito fina. É muito encorajador saber que ambos saíram vencedores desta".

Fonte: Crescer