Ex-namorado divulga vídeo íntimo em 4 sites pornôs como vingança pelo fim de namoro

O ex-namorado pode ser condenado por difamação, mas como a pena é de apenas dois anos, ele não irá para a prisão.

15/11/2012 - 08:50
Carolina Dieckmann foi vítima de hackers que divulgaram fotos dela nua.
Carolina Dieckmann foi vítima de hackers que divulgaram fotos dela nua.
Foto: Severino Silva / Agência O Dia

O delegado titular da Delegacia de Repressão a Crimes de Informática (DRCI), Gilson Perdigão, vai ouvir, na semana que vem, o homem acusado de postar na internet cenas de sexo com uma mulher de 35 anos sem a autorização dela.

O namoro dos dois foi há cerca de dois anos, quando a vítima estava separada do marido. As imagens foram parar em quatro sites pornográficos.

“Ela acredita que o ex-namorado tenha divulgado o material como uma forma de vingança pelo fim do relacionamento. Vamos averiguar se mais alguém teve acesso às imagens ou se ele mesmo postou”, explicou Perdigão.

Alertada por uma vizinha sobre o filme, a mulher — que é técnica de laboratório e voltou para o marido — teme ser reconhecida nas imagens. Ela aparece quase todo o tempo de costas, mas seu rosto é filmado quando ela olha para trás.

“Sinto angústia e culpa.Por que eu deixei fazerem isso comigo?”, disse, em depoimento, a vítima, que tem uma filha adolescente.

O vídeo foi feito em um motel do Rio com telefone celular. Os sites pornôs chegaram a retirar as imagens do ar, mas voltaram a veiculá-las.

A divulgação de imagens íntimas atinge anônimos e famosos. Em maio, fotos da atriz Carolina Dieckmann nua foram furtadas do computador pessoal dela.

Os hackers tentaram chantageá-la, ela não cedeu, e o material foi para a internet. Os responsáveis respondem por difamação, furto e extorsão e podem pegar até 15 anos de cadeia.

Em julho, a assessora parlamentar Denise Leitão Rocha ganhou fama como ‘Furacão da CPI do Cachoeira’ quando um vídeo de sexo dela com um ex-namorado foi publicado na internet. Ela perdeu o emprego e posou nua.

O ex-namorado pode ser condenado por difamação, mas como a pena é de apenas dois anos, ele não irá para a prisão. Cada vez mais frequentes, os crimes cibernéticos — que incluem roubos de senha — serão tipificados pela ‘Lei Carolina Dieckmann’, já aprovada no Congresso e que só espera a sanção da presidenta Dilma Rousseff para entrar em vigor.

A pena, no entanto, só fica mais pesada se o alvo do crime for pessoa pública ou se as imagens forem usadas para a obtenção de lucro: nesses casos, os dois anos previstos no novo texto podem ser acrescidos de até 50%.

Mulheres são 80% das vítimas de divulgação de vídeos íntimos na web, segundo levantamento do especialista em Direito em internet Marcel Leonardi.

FONTE: O Dia Online

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

ver mais+

DEIXE SEU COMENTÁRIO

voltar para o topo