Homem que rasgou notas em apuração e mais 1 ficam presos

Tiago Ciro Tadeu Faria, 29, da Império de Casa Verde, e Cauê Santos Ferreira, 20, da Gaviões da Fiel, foram detidos ontem.

22/02/2012 - 09:51
Homem invade área onde notas eram lidas, pega e rasga documentos.
Homem invade área onde notas eram lidas, pega e rasga documentos.
Foto: Reprodução/TV Globo

Duas, das cinco pessoas que foram detidas durante confusão que interrompeu a apuração das notas do Carnaval de São Paulo, ainda estavam presas no 2º DP (Bom Retiro) na manhã desta quarta-feira. Eles aguardam transferência para um CDP (Centro de Detenção Provisória).

Tiago Ciro Tadeu Faria, 29, da Império de Casa Verde, e Cauê Santos Ferreira, 20, da Gaviões da Fiel, foram detidos ontem por dar início a confusão que interrompeu a apuração. A polícia não informou se as outras três pessoas que haviam sido presas foram liberadas.

Faria deve ser indiciados sob suspeita de dano ao patrimônio público e supressão de documentos, já que cédulas de votação dos jurados desapareceram. Já Ferreira, por suspeita de dano ao patrimônio público. Os crimes podem resultar em cinco (dano) e três (supressão) anos de prisão.

O delegado disse que Faria é o homem que invadiu a área onde as notas eram lidas, agrediu o locutor com um chute, pegou e rasgou as notas. Ele já tem antecedentes criminais, segundo a polícia.

A polícia diz que ele é membro da diretoria da Império, mas o vice-presidente da escola, Paulo Ferreira, nega. "Ele nem estava na mesa com a gente", disse. Imagens feitas antes da confusão mostram Faria sentado em uma mesa.

O diretor da harmonia da Rosas de Ouro foi liberado no início da manhã de hoje, depois de ter sido detido na noite de ontem por suspeita de furto de uma das taças das campeãs do Carnaval de São Paulo.

Segundo a polícia, um mal-entendido entre a própria Liga das Escolas de Samba fez com que Bruno Armando Amaral, 28, fosse levado a Deatur (delegacia do turista), para prestar depoimentos

Na discussão com um segurança ele e outro homem foram acusados de furtar o troféu de quinto colocado do Carnaval.

De acordo com a polícia, a própria Liga havia entregado a taça a Amaral, mas outros que não viram a cena pensaram que a roubava, o que deu início a mais uma confusão.

A presidente da Rosas, Angelina Basílio, chegou a dizer momentos após a detenção que não se tratava de furto. "Eu não acredito que eles tenham roubado o troféu, porque este troféu não nos pertence. Eles estavam comigo", disse.

FONTE: Folha.com

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

ver mais+

DEIXE SEU COMENTÁRIO

voltar para o topo