Gestante internada com gripe A morre em Fortaleza, no Ceará

Paciente era natural de Fortaleza e estava com seis meses de gravidez.

A mulher de 27 anos internada grávida há uma semana devido a contaminação por gripe A em Fortaleza morreu por volta das 4h20 desta terça-feira (13), na UTI do Hospital Maternidade Escola Assis Chateaubriand. A muher, natural de Fortaleza, apresentava quadro de insuficiência renal.

Uma segunda paciente de gripe A que também deu entrada grávida na unidade hospitalar, residente em Beberibe, segue internada na UTI em estado grave. "Gestantes são mais propensas à infecção grave precisam de atenção precoce porque têm um sistema imunológico baixo", disse o médico Edson Lucena.

Partos

Segundo familiares, a paciente residente de Fortaleza estava com seis meses de gravidez, passou por um parto induzido, mas o feto já estava morto. Os médicos da Maternidade Escola informaram que não se pode afirmar que a morte do bebê tenha sido consequência do vírus.

A mulher que mora em Beberibe, de 21 anos, estava com mais de 25 semanas, de acordo com o hospital. A paciente foi submetida a uma cesariana. O bebê prematuro está internado na UTI neonatal e continua em observação e isolado da mãe.

Surto descartado

A Secretaria de Saúde do Ceará (Sesa) descarta a possibilidade de um novo surto de gripe H1N1, também conhecida como gripe A. De acordo com o coordenador de proteção e promoção à saúde do Ceará, Manoel Fonsêca, é normal que surjam casos isolados da doença.

Fonsêca destaca que o surto registrado no ano passado no município de Pedra Branca, a 261 km de Fortaleza, só aconteceu porque a pessoa com o vírus estava em uma sala de aula com outras pessoas.

O médico também informou que não será antecipada a vacinação contra gripe A, marcada para o mês de abril. Os municípios de Beberibe e Fortaleza possuem doses suficientes de Tamiflu, ainda segundo o coordenador de proteção e promoção à saúde do Ceará.

Prevenção

Lavar as mãos o maior número de vezes e evitar contato com pessoas que apresentem os sintomas são as principais formas de prevenir, alerta a Secretaria de Saúde. Caso a pessoa sinta os sintomas como febre, tosse, coriza, falta de ar e dor no corpo, deve procurar imediatamente o posto de saúde.

Fonte: g1, www.g1.com.br