Golpistas usam nome do pai da dentista morta para pedir dinheiro

Golpistas usam nome do pai da dentista morta para pedir dinheiro

Família de Cinthya Moutinho tomou conhecimento do caso na quarta-feira (1º)

Na manhã de quarta-feira (1º), os pais da dentista Cinthya Moutinho de Souza foram surpreendidos pela notícia de que golpistas agindo no bairro onde eles moram, em São Bernardo do Campo, estavam usando o nome deles, principalmente do pai, Viriato Gomes de Souza, para pedir dinheiro e donativos. Cinthya morreu após ser queimada viva no consultório dela, na quinta-feira (25), por ladrões, que ficaram revoltados porque ela só tinha R$ 30.

Nesta quinta-feira (2), a advogada que representa os pais da dentista, Iara Aleixo, disse que ?estão explorando o momento?.

? O seu Viriato não é uma pessoa pobre. Ele é uma pessoa de classe média, que está sofrendo. O que a gente está pedindo é paz. Existem pessoas usando o nome dele para angariar dinheiro. Isso, são estelionatários.

Além de dinheiro, ela ainda disse que os golpistas batem nas portas das casas pedindo outros tipos de doações em nome da família.

? Chegaram a ligar na casa dele [do pai] perguntando se ele precisava de fralda. Não, ele não precisa de fralda, nem a Simone [irmã da dentista]. A Simone tem a saúde boa.

A polícia também investiga telefonemas com supostas ameaças, que a família de Cinthya estava recebendo desde o início desta semana. No entanto, segundo Iara, isso acabou.

? Não existem mais ameaças, só que ligam e desligam. Ligam a cobrar e desligam na hora que ele atende. Algum engraçadinho que não tem mais o que fazer.

O crime

A dentista Cinthya Magaly Moutinho de Souza, de 47 anos, foi queimada viva durante um assalto dentro de seu consultório, na rua Copacabana, bairro do Jardim Anchieta, em São Bernardo do Campo. De acordo com a Polícia Militar, Cinthya atendia a uma paciente ? cujo nome não foi divulgado ? quando criminosos tocaram a campainha. Um dos bandidos disse que precisava de atendimento odontológico e a dentista abriu o portão. Logo, mais dois invadiram o local. A paciente ficou com os olhos vendados durante toda a ação e teve a bolsa, o celular e dinheiro roubados.

Cinthya disse que estava com pouco dinheiro, mas forneceu o cartão do banco e a senha. Os criminosos sacaram R$ 30 da conta da dentista em um caixa eletrônico próximo ao local do crime.

Segundo a paciente, única testemunha do crime, por volta das 12h30, a dentista começou a passar mal e, um dos bandidos, que aparentava ser menor de idade, resolveu encharcá-la com álcool para assustá-la. Segundo informações da polícia, eles queimaram a vítima por não terem conseguido levar mais dinheiro.

De acordo com o delegado seccional de São Bernardo, Waldomiro Bueno Filho, a paciente ? que não ficou ferida ? conseguia ouvir a dentista gritando "não faz isso" e pedindo socorro.

? Ela tentou apagar o fogo quando os bandidos fugiram, mas não foi possível. A dentista morreu em menos de três minutos.

Três homens foram presos e um adolescente apreendido, suspeitos de participarem do caso. Os dois homens detidos no sábado (27) e o menor de idade teriam confessado o roubo e a morte da dentista. O outro, encontrado na madrugada de segunda-feira (29), na Grande SP, negou envolvimento. O rapaz de 17 anos teria assumido que ateou fogo em Cinthya, que ainda estava viva.

Fonte: r7