Governador autoriza investimentos de 39 milhões de dólares na região do semiárido

Wilson Martins sancionou lei que autoriza empréstimo que beneficia região

O governador em exercício, Wilson Martins, sancionou lei que autoriza o Poder Executivo a tomar empréstimo de 20 milhões de dólares, destinados a investimentos na região do Semiárido piauiense. Os recursos fazem parte do projeto “Viva o Semiárido”, que terá ainda participação do Pronaf e do próprio tesouro estadual, totalizando 39,14 milhões de dólares – o que corresponde a 71 milhões de reais.

O empréstimo autorizado pela Assembléia Legislativa será contraído junto ao Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA), em condições vantajosas, já que as taxas são bem abaixo do mercado e os prazos elásticos. A assinatura da lei coincidiu com a presença em Teresina, nessa semana, de representantes do FIDA. O empréstimo de 20 milhões de dólares corresponde a 51% dos recursos do projeto Viva o Semiárido.

O tesouro estadual participará com 25% dos recursos, enquanto o Pronaf entrará com 7%. Os restantes 17% serão a contrapartida dos beneficiários. “Esse é um empréstimo importante, tanto pelas condições especiais como, principalmente, pelo impacto que terá na transformação da vida de milhares de piauienses”, diz Wilson Matins. “Serão beneficiadas 22 mil famílias de pequenos agricultores, o que corresponde a mais de 100 mil pessoas”, destaca o governador em exercício.

O “Viva o Semiárido” alcança 32 municípios em quatro territórios de desenvolvimento: Serra da Capivara, Sambito (região valenciana), Canindé e Guaribas (grande Picos). A formalização do empréstimo agora depende apenas de tramitação do processo em Brasília, O projeto “Viva o Semiárido”, vinculado à Secretaria de Desenvolvimento Rural, é um dos principais instrumentos do Governo do Piauí para combater a pobreza nessa região que corresponde a quase metade do território piauiense. “Estamos dando mais um passo na grande transformação do Piauí. Este é o caminho necessário para a redução da pobreza e para inclusão de pessoas”, ressalta Wilson Martins.

Fonte: Assessoria