Governador decreta situação de emergência para Gripe A no Piauí

Grávidas com suspeita da doença não serão mais tratadas na Maternidade Evangelina Rosa

Diante das duas mortes de gestantes na Maternidade Dona Evangelina Rosa nos últimos dias 18 e 20, com suspeita de Influenza A (H1N1) e dos dois casos já confirmados da doença em 2010, o governador Wellington Dias reuniu as principais autoridades em saúde do Estado e Município para traçar estratégias de combate à Nova Gripe. A reunião foi realizada na tarde desta segunda-feira (22), no Palácio de Karnak.

A primeira providência do governador foi decretar situação de emergência para a doença no Piauí. O documento é uma medida de urgência, válida por três meses, que garante facilidade na compra ou aluguel de equipamentos para as UTI?s dos hospitais que recebem pacientes com sintomas da doença. ?O Ministério da Saúde já comprou os equipamentos, que são os respiradores, e nós estamos aguardando a chegada deles. Só que o momento pede urgência e não podemos esperar. Por isso devemos alugá-los para evitar atropelos?, explicou a superintendente de Atenção à Saúde da Secretaria Estadual de Saúde, Cristiane Moura Fé.

Outra medida acertada foi a liberação de 16 leitos do hospital da Polícia Militar para transferência de pacientes do Instituto de Doenças Tropicais Natan Portela que não estejam com a Influenza A. Desta forma, o Instituto, que hoje é a referência do Estado para a Nova Gripe, ficará à disposição de pacientes acometidos da doença.

O secretário Estadual de Saúde, Assis Carvalho, informou que as grávidas com suspeita da doença não serão mais tratadas na Maternidade D. Evangelina Rosa, mas no Natan Portela, onde receberão atenção especial. ?É bom lembrar que começou hoje a segunda etapa da vacinação da gripe para doentes crônicos, gestantes e crianças de 6 meses a 2 anos. Mas as grávidas podem ser vacinadas até o último dia da campanha, 21 de abril?, ressaltou.

Assis Carvalho afirmou ainda que o governador autorizou o estudo de viabilidade para que o Laboratório Central (Lacen) possa ser equipado para realizar os exames da Influenza A. Hoje o exame só é realizado no Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo, e o resultado demora até três semanas.

Este ano já são 27 casos suspeitos, dois confirmados, dois óbitos suspeitos, que são as duas gestantes, sendo que três gestantes estão internadas com suspeita da doença. O Piauí registrou até agora a morte de uma pessoa vítima de Influenza A.

Fonte: CCOM, www.pi.gov.br