Governo anuncia R$ 1,2 milhão para investimentos na bacia leiteira

Feita a liberação de R$ 1,2 milhão para investimento no setor.

Produtores, beneficiadores, empresários de modo geral envolvidos na produção e venda de leite e derivados se reuniram, nessa segunda-feira (7), com o governador Wellington Dias, no Palácio de Karnak. Em encontro da Câmara Setorial do Leite foram discutidos as deficiências no setor e os desafios para revitalizar a bacia leiteira piauiense. Na oportunidade, o governador anunciou a liberação de R$ 1,2 milhão para investimento no setor.

O recurso será disponiblizado por meio de um convênio entre a Agência de Fomento, Secretaria do Desenvolvimento Rural e Emater. O empréstimo com taxas atraentes, pode ser utilizado na aquisição de matrizes leiteiras e insumos para a produção.

Atualmente, a produção de leite é mais forte na região Norte do Piauí. São processados, em média, 80 mil litros do alimento por dia no estado. Acreditando no potencial do setor, o governador autorizou a elaboração de um diagnóstico, detectando as ações necessárias para a produção aumentar. A meta é chegar a 300 mil litros de leite por dia.

“Teremos uma política tributária adequada para proteger o mercado interno de forma que ele se fortaleça, mas ao mesmo tempo sem onerar o consumidor. Apenas colocando regras para o que entra de importação para o Piauí”, revelou Wellington.

O secretário de Governo, Merlong Solano, foi designado para acompanhar a execução dos encaminhamentos. “A Câmara Setorial solicitou a adesão da Agência de Defesa Agropecuária do Piauí (Adapi), ao Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal, que inclusive depende de uma lei estadual e que já está pronta para ser encaminhada pelo nosso governo à Assembleia Legislativa. Dentre outras demandas, também ficou acertada uma reunião para verificar, especificamente na legislação tributária estadual, o que está ocasionando dificuldade para os produtores de leite e derivados, a fim de que possamos fazer as adequações necessárias”, frisou Merlong.

A reunião discutiu ainda alternativas de eficiência energética para o setor. O secretário de Mineração e Energias Renováveis, Luís Coêlho, falou  da parceria do governo com a Coordenação dos Programas de Pós Graduação em Engenharia (Coppe), instituto de engenharia ligado à Universidade Federal do Rio de Janeiro, que busca um modelo individualizado de uso de energia para as propriedades produtoras de leite.

A carência de mão-de-obra especializada em cuidados com gado leiteiro, foi outro ponto levantado. O governo vem agindo para superar essa dificuldade. Uma proposta de capacitação está sendo montada numa parceria que envolve Secretaria de Estado da Educação (Seduc), universidades e escolas agrícolas.

“Vamos formar especialistas para atuar nas cadeias produtivas do Piauí. A do leite é uma delas”, destacou Francisco Limma, secretário de Estado do Desenvolvimento Rural.

Atendendo a reivindicação dos produtores, o governador Wellington Dias determinou à Adapi a adoção das medidas necessárias para adesão ao Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal.

“Foi uma discussão importantíssima tanto para o setor público como para o privado. Com pouca coisa, resolvemos grandes problemas. Nem precisa de recursos, basta uma conversa com os compromissos que firmamos hoje aqui”, avaliou o presidente da Câmara Setorial do Leite, Francisco Seixas, que também é produtor. 

Fonte: Assessoria