Governo do Estado quer parcerias para ressocialização, diz Daniel de Oliveira

Segundo o gerente de projetos da Diretoria de Humanização da Sejus, Adilson Costa, essa é uma forma de gerar renda para a penitenciária e capacitar os detentos numa nova atividade

O Governo do Estado já iniciou o processo de implantação do novo projeto de ressocialização dos detentos das unidades prisionais piauienses, dessa vez, o principal mecanismo para capacitá-los e tirá-los da ociosidade será a agricultura. Neste sentido, a ideia é começar as atividades na Colônia Agrícola Major César, em Altos, onde há 219 presos no regime semiaberto.

Com esse objetivo, a Secretaria de Justiça (Sejus), sob o comando do advogado Daniel de Oliveira, vem buscando parcerias com a Secretaria do Desenvolvimento Rural (SDR), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Meio-Norte), Instituto de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) e Companhia do Desenvolvimento dos Vales do Parnaíba e São Francisco (Codevasf), visando o sucesso do projeto.

Nessa semana, técnicos do Emater conheceram a área de 274 hectares da Major César. A próxima etapa é a elaboração do projeto que vai, dentre outras coisas, definir a subdivisão da área e o tipo de cultura a ser implantada.

Segundo o gerente de projetos da Diretoria de Humanização da Sejus, Adilson Costa, essa é uma forma de gerar renda para a penitenciária e capacitar os detentos numa nova atividade.

"Vamos visitar outras unidades do Estado para identificar se há possibilidade de receber o projeto, bem como as particularidades de cada município onde a penitenciária está inserida", destacou.

Inicialmente, cerca de 60 presidiários estão aptos para atuarem na ação, porém, a expectativa é que ela se amplie ao longo dos meses. "Realizamos um critério de seleção dos detentos com base no comportamento de cada um.

Todos os trabalhos realizados dentro do presídio são acompanhados pelos agentes penitenciários", finalizou Costa.

Fonte: Francy Teixeira