Após apagão, governo faz pente-fino no sistema para identificar as falhas

Quanto à hipótese de sabotagem, ministro disse que o governo aguardará um relatório da equipe técnica.

O Ministério de Minas e Energia começou a fazer um pente-fino nos procedimentos das principais empresas transmissoras de energia para evitar novos apagões, segundo informou, nesta sexta-feira (26), o ministro interino, Márcio Zimmermann. O governo federal vai aguardar relatório do setor para descartar hipótese de sabotagem que teria ocasionado o blecaute que afetou 11 Estados nesta madrugada.

"Estamos começando nas instalações um pente-fino. Rapidamente vamos estender isso para todas as empresas transmissoras do Brasil para termos uma avaliação correta dos procedimentos", afirmou Zimmermann durante coletiva de imprensa, em que estiveram presentes também o diretor-geral do ONS (Operador Nacional do Sistema), Hermes Chipp, e o presidente da Taesa, José Ragone. A ocorrência teve início na subestação de Colina, e nessa linha, o circuito 2 que vai para Imperatriz é da Taesa.

Quanto à hipótese de sabotagem, o ministro disse que o governo aguardará um relatório da equipe técnica. "É preciso esperar o relatório que vem da equipe e que o ONS termine a sua avaliação. Há dezenas de profissionais hoje trabalhando nisso. Por enquanto, não teria sentido [falar em sabotagem]", afirmou Zimmermann.

No entanto, o diretor-geral do ONS disse já descartar essa hipótese. ?Não há a menor hipótese de uma sabotagem. A hipótese seria viável se o dano fosse provocado por vandalismo. Mas não foi isso que aconteceu. O sistema teve uma falha e o equipamento de proteção falhou?, afirmou.

O ministro interino voltou a ressaltar que não é normal haver blecautes com tanta frequência considerando que o sistema de fornecimento no Brasil é bem planejado. "Tivemos aí num curto espaço de tempo a quarta ocorrência de grandes proporções, com consequências bastante fortes para os sistemas do Nordeste e do Norte".

"[Isso] não é normal num sistema que é planejado, operado, como num sistema deste porte como o brasileiro", disse.

"Probabilisticamente é impossível de ocorrer, mas tivemos isso. A partir de setembro, quando tivemos uma série de ocorrências, tem havido uma série de reuniões e providências. Além de analisar o feito no Norte e Nordeste, está fazendo relatório de análise de perturbação."

Curto-circuito gera queda de energia por 1h

O incêndio em um equipamento entre as subestações de Colinas (TO) e Imperatriz (MA) foi a causa do desabastecimento de energia ocorrido na região Nordeste e em parte do Norte do país, na madrugada desta sexta-feira (26). O problema ocorreu justamente na interligação entre os sistemas Norte-Nordeste e Sul-Sudeste.

Segundo informação da assessoria de imprensa do ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico), o problema ocorreu pouco depois da meia-noite e demorou pouco mais de uma hora para ser resolvido.

Por volta da 1h30, a energia na linha principal já tinha sido restabelecida. No entanto, as distribuidoras de energia levaram mais tempo para restaurar a energia nas linhas secundárias.

Fonte: UOL