Governo quer proteger índias que venderam virgindade por R$ 20

Algumas dizem que foram ameaçadas. A Polícia Civil investiga o caso há um ano, mas ninguém foi preso.

A Secretaria de Direitos Humanos da Presidência estuda incluir no Programa de Proteção a Crianças e Adolescentes Ameaçados de Morte meninas indígenas que dizem ter vendido a virgindade. A análise foi anunciada após a ministra Maria do Rosário visitar anteontem São Gabriel da Cachoeira (AM), onde ouviu relatos.





Ali vivem garotas que contam ter trocado a virgindade por R$ 20, celulares, roupas e caixa de bombons.

Algumas dizem que foram ameaçadas. A Polícia Civil investiga o caso há um ano, mas ninguém foi preso.

O programa de proteção transfere para outros locais jovens ameaçados com suas famílias. A inclusão é feita por meio da Justiça, dos Conselhos Tutelares e do Ministério Público.

A pasta analisa ainda a proteção de pessoas que denunciaram o caso, como a irmã Giustina Zanato, 63, presidente do Conselho Municipal de Defesa da Criança e do Adolescente.

Fonte: Folha