Greve Incra: Só 30% dos serviços estão em funcionamento

Os servidores exigem reposição salarial de 22%, índice que corresponderia às perdas inflacionárias referentes aos últimos quatro anos.

Serviços como a certificação de imóveis rurais, regularização fundiária, acesso ao crédito, aposentadoria rural e atualização cadastral de pequenas e médias propriedades serão afetados pela paralisação dos servidores do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) no Piauí. Os trabalhadores do Incra aderiram à greve dos servidores públicos federais segunda-feira (25).

A categoria reivindica reestruturação das carreiras, reposições salariais e melhorias das condições de trabalho. Os servidores exigem reposição salarial de 22%, índice que corresponderia às perdas inflacionárias referentes aos últimos quatro anos.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público Federal no Estado do Piauí - SINSEP-PI, Paulo Bezerra, os servidores do Incra decidiram paralisar para reforçar o movimento grevista.

"Apresentamos uma proposta, não houve negociação com o governo e por isso decidimos paralisar os trabalhos do serviço público federal para que retornar as negociações", afirma o presidente. Na paralisação nacional e por tempo indeterminado os trabalhadores devem fazer uma série de manifestações no próprio órgão.

"Enquanto não conseguirmos uma retomada de negociação com o governo, vamos continuar tentando fechar todos os órgãos e apenas os 30% dos serviços, garantidos por lei, é que estarão em funcionamento durante esse período de greve", finaliza Paulo.

Fonte: Aline Damasceno