Grupo faz caminhada silenciosa no retorno às aulas da UFSM

Grupo faz caminhada silenciosa no retorno às aulas da UFSM

Homenagem às vítimas do incêndio na Kiss começou pouco antes das 8h. Amigos e familiares acompanham os estudantes; missa será realizada às 9h.

Um grupo de estudantes, acompanhado de familiares e amigos de vítimas que morreram após um incêndio na boate Kiss no dia 27 de janeiro, realiza caminhada silenciosa na manhã desta segunda-feira (4) no campus da Universidade de Santa Maria (UFSM), em homenagem aos mortos na tragédia. O ato é realizado no dia em que as aulas são retomadas.

Os jovens iniciaram o trajeto no portal que dá acesso ao campus. O destino é o Espaço Multiuso, onde será realizada a missa marcada para as 9h, e que fica próximo ao prédio da reitoria, na própria universidade. Cartazes e faixas com frases e fotos das vítimas são carregados na caminhada. O único som que é possível ouvir é o dos pássaros que tomam a grande área verde do local.

Entre as 237 vítimas, 115 eram alunos ou ex-alunos da UFSM. Após o incêndio na boate a universidade suspendeu as aulas por uma semana. Durante o período em que ficou fechada, reitoria, professores, estudantes e servidores discutiram ações para que o recomeço das aulas seja menos traumático possível. O trabalho será focado no apoio psicossocial aos alunos que precisam.

Outro medida tomada foi a flexibilização das avaliações e presença em sala de aula para os alunos que não estiveram em boas condições psicológicas e emocionais. A proposta foi apresentada pelo DCE e aceita pelo reitor Felipe Müller.

A partir desta semana, a universidade também começa a discutir ajustes no calendário acadêmico. Em razão da greve dos professores no ano passado, o término do segundo semestre de 2012 estava previsto para o dia 2 de março. Ainda não há definição se esse prazo será mantido após os cinco dias de luto oficial decretados pela tragédia.


Grupo faz caminhada silenciosa no retorno às aulas da UFSM

Manifestações

Integrantes da caminhada fizeram uma breve parada em frente ao prédio do Centro de Ciências Rurais (CCR), onde alguns professores se manifestaram. O coordenador do curso de agronomia, Toshio Nishijima, disse que "a coordenação está à disposição para que os alunos possam seguir em frente".

O diretor do CCR se manifestou no mesmo sentido. "Esse fato histórico é um marco que veio para ficar. Podemos fazer disso uma tristeza ou um grande sopro de esperança", salientou. "Temos que seguir a vida", reiterou ele.

O incêndio na boate Kiss, em Santa Maria, região central do Rio Grande do Sul, deixou 237 mortos na madrugada do último domingo (27). O fogo teve início durante a apresentação da banda Gurizada Fandangueira, que fez uso de artefatos pirotécnicos no palco. De acordo com relatos de sobreviventes e testemunhas, e das informações divulgadas até o momento por investigadores:

O vocalista segurou um artefato pirotécnico aceso.

- Era comum a utilização de fogos pelo grupo.

- A banda comprou um sinalizador proibido.

- O extintor de incêndio não funcionou.

- Havia mais público do que a capacidade.

- A boate tinha apenas um acesso para a rua.

- O alvará fornecido pelos Bombeiros estava vencido.

- Mais de 180 corpos foram retirados dos banheiros.

- 90% das vítimas fatais tiveram asfixia mecânica.

- Equipamentos de gravação estavam no conserto.

Fonte: G1