Guaritas são habitadas por viciados nas vias de Teresina

O problema está acontecendo nas guaritas que estão abandonadas próximas aos trilhos do metrô

As guaritas da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito, localizadas próximo dos cruzamentos dos trilhos do metrô com as vias da cidade, estão em total situação de abandono.


Guaritas são habitadas por viciados nas vias de Teresina

Além de elas não cumprirem com a função para a qual foram criadas, que é alertar os motoristas sobre a passagem do trem, elas viraram local de moradia de usuários de drogas.

A guarita que fica localizada na Avenida Miguel Rosa, próximo do cruzamento com a Rua Jônatas Batista, além dos vidros quebrados e da ausência de guardas, segundo João Batista da Silva, que trabalha nas proximidades, há cerca de três meses é habitada por usuários de drogas. A prova disso, são objetos de uso pessoal encontrados no local.

?Ele dorme aí todas as noites. O local já foi adotado como casa?, afirmou. Ainda na mesma avenida, nas proximidades do Cemitério São José, outra guarita também abandonada não cumpre com sua função. Quem mora ou trabalha perto relata que no local são comuns acidentes envolvendo o trem e os veículos que passam por lá.

?Houve uma vez um acidente aqui nos trilhos do metrô, em que o carro foi arrastado. E não foi só esse, já presenciei outros?, afirmou Carlos Germano Sousa Silva.

Quem sofre com isso são os motoristas que precisam ficar bastante apreensivos ao passar nas proximidades dos locais onde os trilhos cruzam com as ruas da cidade.

Para o taxista José Romão Dias, estes locais oferecem risco constante. ?Nunca vi um guarda nessas guaritas e nunca ouvi o alarme avisar quando o trem está vindo, e isso é um perigo?, reclamou.

O assistente técnico da Strans, Mario Andretty, disse que essas guaritas já foram desativadas e nos próximos meses deverá ser instalado, no ponto de cruzamento dos trilhos com as ruas, um sensor de presença. Além disso, a sinalização nesses locais será reforçada para que sejam afastados os riscos de acidentes.

?A sinalização que temos hoje já é adequada, mas vamos reforçar. Já o sensor de presença será comprado pela Companhia Metropolitana de Transportes Públicos (CMTP)?, afirmou.

Ainda não há um prazo para a instalação dos sensores, mas já foi solicitado à CMTP que realize a compra e isso deverá acontecer mediante processo licitatório.

Fonte: Pollyana Carvalho