Hemopi pretende aumentar estoque na Copa do Mundo

Como forma de mobilização, a instituição realiza ações como palestras educativas, captação de doadores, realização de coletas externas e internas

No período em que será realizada a Copa do Mundo toda a hemorrede do Hemopi (Centro de Hematologia e Hemoterapia do Piauí) tem o objetivo de aumentar o estoque de hemocomponentes, já que é possível que ocorra um maior número de acidentes de trânsito, devido a irresponsabilidade de muitos em períodos festivos.

Foi estipulada uma meta nacional, para cidades não sedes, de um aumento entre 15% e 20%, nesse período. Este plano foi elaborando como forma de evitar maiores transtornos a possíveis atendimentos de emergência.



A expectativa é que o Hemopi receba 6.000 doações, em junho. Para isso, é essencial o apoio e a colaboração da população. Como forma de mobilização, a instituição realiza ações como palestras educativas, captação de doadores, realização de coletas externas e internas, agendamentos de transporte de doadores com grupos organizados e convite para que as pessoas doem sangue por meio de cartas, e-mails, torpedos e ligações telefônicas.

Os tipos de sangue que mais faltam nos estoques são os negativos, principalmente o AB(-). Já os tipos A e O positivos são os mais transfundidos porque são os tipos sanguíneos da maioria da população, por isso a doação de todos os tipos sanguíneos se faz necessária.

?Um mesmo paciente pode receber vários tipos de hemocomponentes, e são distribuídos para transfusão, cerca de 70.000 hemocomponentes por ano. Porém, em torno de 20% dos pacientes não são atendidos imediatamente, devido a falta de plaquetas.

No ano passado, foram realizadas em torno de 52.000 doações no Piauí, neste ano, a expectativa é que seja 60.000 até o fim de 2014. ?O maior número de transfusões é realizado em pacientes vítimas de traumas, cirurgias cardíacas e em pacientes em tratamento oncológico?, afirma Evoneide Gomes, gerente da hemorrede.

Fonte: Nadja Uchôa